Edições Anteriores
  • Edição 263

  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

  • Edição 252

SOLENIDADE DO NATAL DO SENHOR JESUS

24/25 de dezembro de 2016

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos. Vigília: Is 9,1-6; Sl 96(95); Tt 2,11-14; Lc 2,1-14. Dia: Is 52,7-10; Sl 98 (97); Hb 1,1-6; Jo 1,1-18

Jesus nasce num contexto de dominação imperial, onde o recenseamento era realizado por razões de tributação e serviço militar. Conforme a promessa do anjo (1,32-33) e o tema recorrente a Belém (2,1-5), Jesus é o Messias que vem realizar a esperança profética de paz e misericórdia (Mq 5,1-4a; 6,8). Os pobres e discriminados pastores são os destinatários privilegiados da Boa Nova para todo o povo: Nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor. Assim, revela-se o sentido da missão de Jesus como Salvador (1,47; At 5,31) e Cristo Senhor (2,26; At 2,36). A multidão celeste canta a glória a Deus e a paz aos homens que Jesus concede como a plenitude de salvação. A Palavra se fez carne é o ápice do prólogo do Evangelho de João (1,1-18). Jesus armou sua tenda entre nós, veio participar do nosso êxodo. O povo habitava em tendas durante a travessia do deserto e a glória de Deus enchia a Tenda (Ex 40,34-35). A glória de Deus se manifesta em Jesus, o Verbo encarnado, que pleno de graça e de verdade nos concede fazer a experiência filial de amor e comunhão com o Pai. Na leitura de Is 9,1-6, o povo oprimido pelo domínio dos poderosos (8,23) viu a luz resplandecer com a esperança de um reinado pacífico. O texto de Is 52,7-10 anuncia a salvação que consola o povo, que está retornando do cativeiro da Babilônia, e transforma em alegria até as ruínas de Jerusalém. Os salmos convidam a cantar ao Senhor um cântico novo, por sua ação em favor da humanidade inteira. Na leitura de Tito, a graça de Deus manifestada em Cristo ensina a viver com modéstia, justiça e piedade, na firme esperança.

2. A palavra na vida

O nascimento do Senhor é o nascimento da paz. Cristo é a nossa paz; fez de judeus e gentios um só povo. Por ele, todos temos acesso junto ao Pai no mesmo Espírito” (São Leão Magno). Mas a paz não acontece espontaneamente, é fruto de uma educação para a paz e a tolerância, entre pessoas e entre povos.

3. A palavra na celebração

Hoje nasceu o Salvador do mundo. Ele está no meio de nós. Celebrando a páscoa do Cristo no seu mergulho em nossa humana natureza. Que o Espírito nos anime a crer na vida que nasce dos pequenos gestos de solidariedade
e compaixão.