Edições Anteriores
  • Edição 264

  • Edição 263

  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

3º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

22 de janeiro de 2017

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 8,23b–9,3; Salmo 27(26); 1Coríntios 1,10-13.17; Mateus 4,12-23

Jesus, ao ouvir que João havia sido preso, retirou-se para a Galileia das nações, escolha estratégica para levar adiante a missão (14,13). Nessa região menosprezada por causa da miscigenação entre israelitas e os povos que a conquistaram (2Rs 15,29; 17,24-34), muita gente recorria na perspectiva de vida nova. Nas terras humilhadas de Zabulon e Neftali, a luz da libertação brilha plenamente com Jesus que oferece a vida plena, que elimina as trevas e as  sombras da morte. O anúncio libertador de Jesus interpela à conversão, pois o Reino dos Céus está próximo. O chamado dos primeiros discípulos (4,18-22) e a resposta de Simão Pedro, André, Tiago e João é exemplo de opção radical pelo Reino de Deus e suas exigências. Jesus, diferente dos outros mestres, toma a iniciativa de escolher seus discípulos e os convida a segui-lo. O verbo seguir sublinha a adesão à pessoa e ao projeto de Jesus, que fará dos discípulos pescadores de homens. A fé e a confiança em Jesus levam a deixar tudo para trilhar o caminho do discipulado que transforma em pescadores, que atraem pessoas para o Reino de Deus. O primeiro sumário (4,23-24) mostra a presença do Reino acontecendo em Jesus que proclama a Boa Nova com palavras, reunidas de modo especial no Sermão da Montanha (caps. 5–7), e com gestos, os milagres, as curas, as vitórias sobre a opressão e a morte (caps. 8–9). A leitura do profeta Isaías anuncia o fim da opressão e a esperança de vida sobre a morte, depois da devastação causada pelos assírios no norte da Palestina (Is 8,23b–9,6). O salmista expressa a confiança no Senhor, que ilumina a vida e enche de  coragem para enfrentar as adversidades. Paulo, na leitura de 1Coríntios, exorta a ser concordes uns com os outros, sem divisões, colocando Cristo crucificado como o fundamento da unidade.

2. A palavra na vida


Como os primeiros discípulos, somos chamados a deixar tudo para seguir Jesus, no empenho de vivermos conforme o evangelho.

3. A palavra na celebração

Celebrando neste domingo o início da missão de Jesus e do chamado dos primeiros discípulos, fazemos memória da páscoa do Senhor ouvindo sua Palavra com ouvidos atentos e coração aberto, para que nossa vida seja transformada numa resposta generosa ao convite de Jesus.