Edições Anteriores
  • Edição 264

  • Edição 263

  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

5º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

5 de fevereiro de 2017

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 58,7- 10; Salmo 112(111); 1Coríntios 2,1-5; Mateus 5,13-16

O Mestre Jesus apresenta o sentido da missão dos que vivem segundo o espírito das bem-aventuranças (5,1-12) através das metáforas do “sal” e da “luz”.  O sal é elemento essencial para a vida (Eclo 39,26). Por suas propriedades que conservam e purificam (Jó 6,6), era adicionado às oferendas (Lv 2,13; Ez 43,24) e simboliza permanência e fidelidade à aliança (Nm 18,19). Os discípulos, como sal da terra, estão inseridos na sociedade para dar sabor à vida, conservando as palavras e os gestos de Jesus, seu projeto em defesa da vida. Se o sal perde o seu sabor não serve para mais nada, assim também o discípulo do reino, se não buscar, a cada dia, a plena identificação com Cristo no testemunho e na missão. A qualidade e o alcance das obras dos seguidores de Jesus são definidos pela luz que vence as trevas da morte e se traduz em vida e liberdade. As imagens da cidade situada no alto, irradiando luz e atraindo os povos, e da lâmpada no candelabro iluminando todos na casa, ilustram o agir dos que seguem a Cristo, a Luz do mundo Jo 8,12). As boas  ações transformam o mundo e se tornam sinais da verdadeira fonte: o Pai que está nos céus (5,48; 6,1.9.14.26.32; 7,11). Como Cristo, os discípulos glorificam o Pai por meio dos frutos do seu trabalho (Jo 15,8). A leitura profética de Isaías salienta que a luz brilha como aurora, a justiça caminha à frente e   glória do Senhor resplandece em quem realiza ações que lhe agrada, transformando os instrumentos de opressão e socorrendo os necessitados. O salmo, uma oração de espiritualidade sapiencial, realça que a compaixão e a generosidade com os pobres manifestam a glória de Deus. A leitura de  1Coríntios sublinha que Paulo anunciou Cristo Crucificado pelo Espírito de Deus, que agiu através da sua fragilidade.

2. A palavra na vida

Como discípulos, somos interpelados a realizar boas obras, que testemunham a vida nova e favorecem a transformação das estruturas desumanas, em projetos que promovem a dignidade e vida. A ação que agrada a Deus se manifesta na misericórdia, voltada para os mais necessitados.

3. A palavra na celebração

Na celebração deste domingo, damos graças a Deus que vem até nós para nos curar de nossos males. Glorificamos a Deus, escutando sua Palavra, orando e partilhando a ceia, testemunhando com nossas vidas.