Edições Anteriores
  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

  • Edição 252

  • Edição 251

8º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

26 de fevereiro de 2017

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos,indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.


1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 49,14- 15; Salmo 62(61); 1Coríntios 4,1-5; Mateus 6,24-34

O evangelho, lido a partir do versículo 19 do cap. 6, explica a atitude do discípulo diante dos bens materiais e salienta que nada deve desviá-lo do essencial:  o Reino de Deus. A imagem do servo que devia submissão ao senhor é apelo para viver a fidelidade absoluta deDeus: Não podeis servir a  Deus e à riqueza. O caminho do discipulado opõe-se aos valores estabelecidos pela sociedade, os quais propõem o consumismo e a acumulação. O empenho para viver a fraternidade leva a colocar a confiança na Providência divina, na certeza que a vida é mais que o alimento e o corpo mais que a roupa. O exemplo das aves, alimentadas pelo Pai celeste, sublinha o cuidado de Deus por todas as criaturas, de modo especial pelo ser humano. A singeleza dos lírios do campo supera a glória e a ostentação de Salomão e convida a contemplar a gratuidade do amor de Deus nas pequenas coisas. A expressão gente de fé pequena indica a necessidade de crescimento na fé, para confiar em Deus nas situações difíceis (8,26; 14,31; 16,8). Jesus ensina a viver com  generosidade e confiança no Pai  que ama gratuitamente e sabe o que é necessário para uma vida digna. Buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça caracteriza o estilo de vida dos discípulos, que acolheram a proposta de Jesus (5,10.20). A mensagem de Jesus leva ao compromisso e  trabalho todos os dias, a fim de que se realize o sonho de um mundo novo de justiça, paz e fraternidade. A leitura de Isaías proclama o amor e a ternura de Deus, que não abandona o povo no sofrimento. O salmo é uma oração de confiança: Só em Deus repousa a minha alma; dele vem minha salvação. A   leitura de 1Coríntios convida a comunidade cristã a acolher os evangelizadores como servos de Cristo e administradores dos mistérios de Deus, de seus desígnios salvíficos.

2. A palavra na vida

Nossa preocupação essencial como seguidores/as de Cristo deve ser a busca pelo Reino de Deus e sua justiça. Onde há fraternidade, vida digna para todos, Deus reina como único Senhor.

3. A palavra na celebração


Em nossa assembleia litúrgica, expressemos nossa confiança em Deus e nossa opção pelo seu Reino, pois ele sacia nossa fome e sede de amor e nos confirma no seu amor.