Edições Anteriores
  • Edição 264

  • Edição 263

  • Edição 262

  • Edição 261

  • Edição 260

  • Edição 259

  • Edição 258

  • Edição 257

  • Edição 256

  • Edição 255

  • Edição 254

  • Edição 253

DOMINGO DA ASSUNÇÃO DE MARIA

20 de agosto de 2017

O que segue é um Roteiro de Celebração dominical da Palavra presidida por ministro ou ministra leigo/a, mas os elementos podem ser úteis também para preparar a celebração eucarística. As leituras indicadas são do Lecionário dominical. Os comentários das leituras são para ajudar a equipe que prepara, não deve ser usada no momento da celebração. Depois do evangelho há uma pequena meditação para ajudar a quem deve fazer a homilia. A oração de ação de graças dentro do roteiro é uma proposta recitada. No final deste roteiro há uma versão cantada: a melodia se em encontra no CD COMEP, ‘Ação de Graças no Dia do Senhor’. Há ainda no final deste roteiro o rito da aspersão que sempre pode ser usado aos domingos no lugar do ato penitencial.


CHEGADA

1. Refrão meditativo escolher no livro de canto, ou:

Louvarei a Deus, seu nome bendizendo.

Louvarei a Deus, a vida nos conduz.

 

RITOS INICIAIS

2. Canto de abertura

Ó povos, venham todos, ODC, p. 43, refrão 5; Celebrai, celebrai ao Senhor, ODC, p. 212; De alegria vibrei no Senhor, H 4, p. 169.

 

Procissão, com a cruz e o lecionário

 

3. Sinal-da-cruz

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

4. Saudação 

A graça e a  paz do Senhor Jesus estejam com vocês.

Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

5. Acolhida, sentido da celebração e recordação da vida

O(a) animador(a), com breves palavras, acolhe as pessoas, sobretudo as visitantes,  introduz o sentido do domingo e convida a assembleia a lembrar fatos marcantes que são sinais da páscoa de Jesus na vida pessoal, na comunidade, no mundo...

Exemplo de como fazer:

Cantamos as maravilhas que o Senhor fez por nós, porque, fazendo Maria passar da morte à vida, ele nos deu o sinal da vitória de toda a humanidade pela ressurreição de Jesus Cristo, nosso Salvador.

Celebramos a páscoa de Jesus Cristo que se manifesta em todas as pessoas e grupos que são sinais de uma humanidade nova.

Acolhemos com alegria as pessoas que estão nos visitando ou chegando em nossa comunidade (dizer nomes ou pedir que se apresentem...). Podemos trazer lembranças de pessoas e acontecimentos que estamos acompanhando ou que marcaram a semana que passou...

Deixar que as pessoas falem ou, se isso não for possível, deixar que equipe fale, ou até mesmo quem preside pode trazer algumas lembranças.

Terminando, quem preside, introduz o anto penitencial:

6. Ato penitencial

De coração contrito e humilde, invoquemos a compaixão do Cristo, e imploremos sobre nós o seu perdão:

Senhor que vieste, não para condenar, mas para salvar, tem piedade de nós.

Senhor tem piedade de nós.

Cristo, que acolhes quem confia em tua misericórdia, tem piedade de nós.

Cristo, tem piedade de nós.

Senhor, que muito perdoas a quem muito ama, tem piedade de nós.

Senhor tem piedade de nós.

Deus todo amoroso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.

Pode-se escolher outras formas de Ato penitencial, no livro de canto, ou no missal. Ou: No lugar do ato penitencial, pode-se fazer o rito da aspersão (Cf. abaixo)

7. Glória

8. Oração inicial

Ó Deus, que fizeste Maria participar

da páscoa de Jesus, teu filho,

faze que todo o teu povo passe

das sombras da morte à claridade da tua luz.

Dá-nos tua força para vencer a humilhação

de uma vida sem sentido

e esperar sempre em tuas promessas.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

.

 

 

LITURGIA DA PALAVRA

9. Primeira leitura - Apocalipse 11,19a;12,1-6a.10ab

Escutando esta história escrita para animar a resistência das primeiras comunidades em tempo de perseguição, vemos um sinal de Maria e de sua páscoa.

 

10. Salmo responsorial 45(44)  (Mel.: Nas águas do Jordão)  

Cantando este salmo, nós bendizemos a Deus que ficou ao lado da mulher perseguida pelo dragão, e pedimos que o Senhor venha em socorro do seu povo em sua luta contra o sofrimento.

Cheia de graça a rainha está

à vossa direita, ó Senhor.

 

À vossa direita se encontra a rainha,

com veste esplendente de ouro de Ofir.

As filhas de reis vêm ao vosso encontro,

com veste esplendente de ouro de Ofir.

 

Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:

“Esquecei vosso povo e a casa paterna!

Que o rei se encante com vossa beleza!

Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!”

 

Entre cantos de festa e com grande alegria,

ingressam, então, no palácio do rei.

 

11. Segunda leitura - 1Coríntios 15,20-27a

A mais antiga profissão de fé da Igreja primitiva se traduzia na expressão: "Cristo morreu e ressuscitou". Escutando esta leitura da Carta aos Coríntios, procuremos o que nos ajuda a celebrar melhor a festa de hoje.

 

12. Aclamação ao evangelho

Aleluia, aleluia! (bis)

Deus te salve, ó Maria,

virgem mãe do Salvador,

mãe do filho do Altíssimo

Jesus, Cristo Senhor. (bis)

 

Ou:

 

Aleluia, aleluia, aleluia!

Alguém do povo exclama

como é grande, ó Senhor,

quem te gerou e alimentou!

Jesus responde, ó mulher, para mim é feliz

quem soube ouvir a voz de Deus

e tudo guardou.

 

13. Proclamação do evangelho -  Lucas 1,39-56

Escutemos como Lucas, contando o encontro de Maria com Isabel, revela-nos sobre o mistério de Cristo e sobre o mistério de Maria.

 

O(a) leitor(a) se dirige à assembleia com esta saudação:

O Senhor esteja com vocês. Ele está no meio de nós.

Fazendo o sinal-da-cruz na fronte, na boca e no peito:

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo...

Glória a vós, Senhor.

Proclama o evangelho e no final da leitura conclui:

Palavra da Salvação. Glória a vós, Senhor.

Beija o livro e o mostra para a assembleia, que se inclina, num gesto de adesão à Palavra.

14. Homilia - Dicas para preparar a homilia , cf. abaixo:

Sugestão de como fazer:

Maria, assunta aos céus, glorificada por Deus, é o sinal que nos é dado, assim como outrora João, na ilha de Patmos, viu uma mulher vestida de sol... Ela é o sinal da humanidade transformada em Cristo, sem violência e sem ódio, garantia de que a energia da ressurreição de Cristo se espalha e se derrama sobre toda a humanidade, mostrando que aquilo que o apóstolo Paulo nos disse na segunda leitura está em pleno andamento: todos em Cristo ressuscitarão. Assim, a festa da assunção de Maria, mais do que um acontecimento especial em uma pessoa, diz respeito à vocação de toda a humanidade.

O diálogo das duas mulheres do evangelho, Isabel e Maria, é o reconhecimento desta mesma humanidade – pobre e frágil humanidade – a este mistério. É a humanidade se engajando nesta energia de salvação e transformação que atinge a todos, desde os nossos ouvidos às nossas entranhas, e nos faz cantar as maravilhas e ações de Deus.

No seu cântico, continuando os cantares de outras mulheres, como Míriam, Judite e Ana..., Maria exulta de alegria porque a salvação se tornou mais próxima do que nunca e porque essa salvação se manifestou por meio dela, mulher pobre, humilde serva do Senhor.

Celebrar a festa da assunção é reassumir o compromisso com a causa da vida no mundo, cultivando sempre a afeição e a ternura, de modo que cresçam com a luta o homem novo e a nova mulher. Maria é sinal da nova humanidade que começa nas relações, no cotidiano de nossas convivências... 

Desta forma, a celebração litúrgica que realizamos, tal como o encontro de Maria com Isabel, torna-se a maneira de nos inserirmos no plano de salvação, proclamarmos a fé e cantarmos a alegre ação de graças ao Deus que olhou para a humildade de seus servos.

 

17. Coleta de bens

É o momento de trazer donativos ou o dízimo para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta (escolher  no livro de canto).

Terminada a coleta, todos/as se levantam, os/as ministros/as trazem o pão consagrado para o altar. Quem preside, aproximando-se do altar, faz uma breve inclinação e dá início à ação de graças.

AÇÃO DE GRAÇAS

18. Convite à ação de graças

Quem coordena, faz o convite:

O Senhor esteja com vocês.

Ele está no meio de nós!

Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

É nosso dever e nossa salvação!

19. Oração de ação de graças

Quem coordena continua, proclamando a oração que segue (ou cantando, cf. abaixo):

 

Nós te bendizemos, ó Deus santo,

amigo da humanidade,

por Cristo nosso Salvador.

Em Maria elevada à glória do céu,

manifestas teu rosto materno

consolando o teu povo a caminho,

na esperança de um mundo novo.

 

Nós te damos muitas graças,

te rogamos, ó Senhor.

 

Por este sinal do corpo do teu Filho,

expressamos nosso desejo de corresponder com mais fidelidade

à missão que nos deste

e invocamos sobre nós o teu Espírito.

Apressa o tempo da vinda do teu reino,

e recebe o louvor de todo o universo

e de todas as pessoas que te buscam.

Nós te damos muitas graças,

te rogamos, ó Senhor.

 

Toda a nossa louvação chegue a ti

em nome de Jesus, por quem oramos

com as palavras que ele nos ensinou:

T: Pai nosso..., pois vosso é o reino,

o poder e a glória para sempre.

 

20. Abraço da paz

Saudemo-nos, uns aos outros, com o sinal da reconciliação e da paz!

21. Rito da comunhão

Quem preside tomando nas mãos o prato com as hóstias diz:

Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede”.

Mostrando o pão consagrado:

Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!

Senhor, eu não sou digno(a)...

A minha alma engrandece o Senhor, ODC, p. 238.

Quem preside faz a oração do respectivo domingo no Dia do Senhor (ou no missal) . Ou a que segue.

 

22. Oração final

Deus de bondade,

bendito sejas pela palavra e pela comunhão que nos deste

nesta festa da páscoa de Maria.

Fortalece nossos passos vacilantes

e completa em nós o que teu amor começou.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

.


 

RITOS FINAIS

23. Comunicações

24. Bênção

O Deus que olhou para Maria

volte seu olhar para nós

e nos faça caminhar na esperança

de um mundo novo,

agora e sempre. Amém.

A alegria do Senhor seja a nossa força. Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe.

Graças a Deus.

 

 

 

 

 

 

DICAS PARA PREPARAR A HOMILIA

 

Seguindo o método da Leitura orante (ler, meditar, orar, contemplar), indicamos cinco passos para preparar a homilia:

1) Escolher um tempo durante a semana e um lugar onde seja possível o silencio... Antes de começar a leitura, invocar o Espírito Santo...

2) Ler os textos, começando pelo evangelho. Ler com atenção. Ler mais de uma vez. Prestar atenção nas personagens, sublinhar os verbos ou as palavras chaves. Se durante a leitura, se distrair, voltar pro começo. Ler também a primeira leitura, a segunda, o salmo.

3) Na leitura Deus se revela a nós em Jesus. Perguntamos o que Deus nos fala na Palavra: que boa notícia traz para a nossa vida e a vida de nossa comunidade? Que atitude pede de nós, que mudança de vida? A Palavra é espelho da nossa vida (autoconhecimento).

4) Silenciar por um momento diante do Pai, em oração. Agradecer pela luz que a sua palavra traz, ou pedir ajuda para compreendê-la melhor. Entrar no silêncio de Deus, Contemplar a sua presença manifestada em Jesus e na própria vida. Deixar que a Palavra lida e meditada ecoe no coração ao longo do dia e da semana. Abrir-se a novas atitudes, optar conscientemente por gestos concretos de amor, de doação suscitados pela Palavra.

5) Anotar os pontos que queremos desenvolver na homilia da comunidade e estar atentos/as ao que Espírito suscitar à medida que a Palavra vai crescendo dento do coração e na própria  conduta.

 Alguns cuidados que devemos ter ao preparar a homilia:

- Homilia não é palestra nem aula, é uma conversa; sua finalidade é “expor os mistérios da fé, que se referem à pessoa de Jesus” (cf. SC 51), partindo dos textos bíblicos e levando em conta a vida da comunidade.

- Homilia tem começo meio e fim. Nunca começar com algo que cause constrangimento e, ao terminar, buscar uma síntese, apontando para a boa notícia e exortando à conversão.  Evitar dar lição de moral.

- Falar pouco é regra preciosa, não mais de dez minutos, mas isso não significa empobrecer o conteúdo. É importante falar o essencial, usando uma linguagem acessível, coloquial.

- A homilia é parte integrante de toda a celebração, por isso nem começa e nem termina com sinal da cruz ou com “louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo”...