Preparando o Dia do Senhor

32º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A-2020

Preparando o Dia do Senhor

8 de novembro de 2020

1. Aprofundando os textos bíblicos: Sabedoria 6,12-16; Salmo 63(62); 1Tessalonicenses 4,13-18; Mateus 25,1-13
A “parábola das dez virgens” faz parte do discurso escatológico (caps. 24–25) e impele a esperar o Senhor com
as lâmpadas acesas. As jovens amigas da noiva aguardavam a vinda do noivo, preparando-se para acompanhar o
cortejo nupcial até o lugar onde acontecia a festa do casamento. O esposo representa o Filho do Homem, tal
como em 22,1-14 e em 9,15. As dez virgens, que mantém óleo na lâmpada, por meio da fé, esperança e caridade,
são sinal da comunidade-esposa entregue a Cristo (2Cor 11,2) até a sua vinda gloriosa. A humanidade inteira,
amiga-esposa de Cristo, espera entrar com ele no banquete de bodas. O ensinamento do Mestre Jesus exorta a
estar sempre preparados, a fim de não perder a oportunidade de participar da grande festa do Reino de Deus.
“O noivo estava demorando a chegar” (25,5.19; 24,48) acentua que, quando o evangelho de Mateus foi redigido,
nos anos 80 d.C, os cristãos já não esperavam a vinda iminente do Senhor. A expressão “o amor fraterno havia
se esfriado” (24,12) mostra que era preciso revigorar os valores do evangelho.A proclamação “Senhor, Senhor”
deve ser expressão de uma fé consistente no Ressuscitado. O não reconhecimento, por parte do Senhor, de alguns
que buscam o encontro com ele mostra a falta de relação entre discípulo e Mestre (7,21-23; 25,12). A prudência (cf.
relato anterior, o servo fiel e prudente) faz agir com a sabedoria de vida, de modo a permanecer com as lâmpadas
acesas pela escuta e prática da Palavra (7,24-25). “Estejam vigilantes, porque vocês não conhecem o dia nem a hora”
(24,44; 25,13), advertência a trilhar o caminho do discipulado em sintonia com o Reino de Deus e com sua justiça.
A leitura do Livro da Sabedoria indica o caminho para viver iluminados por Deus e seu projeto de bondade.
A leitura de 1Tessalonicenses ensina a configurar a vida em Cristo ressuscitado dos mortos, garantia de nossa
ressurreição.

2. A palavra na vida
“O óleo de nossas lâmpadas” não se estingue enquanto lutamos por um mundo melhor de justiça e fraternidade através
de pequenos gestos cotidianos.

3. A palavra na celebração
Celebrando o mistério pascal de Cristo, demos graças a Deus, que nos convida e segui-lo, na vigilância de quem sempre
está à espera do noivo que vai chegar.

Ir. Helena Ghiggi é Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

Ir. Neusa Bresiani é Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.

Related Posts

Deixe uma resposta