Dia do Senhor

DIA DO SENHOR: 5º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

Livro Celebrando o Dia do Senhor – Tempo Comum ABC

5º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

9 de fevereiro de 2020

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos, indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado.

Autoras:
Ir. Neusa Bresiani é Pia Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.
Ir. Helena Ghiggi é Pia Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 58,7-10; Salmo 112 (111); 1Coríntios 2,1-5; Mateus 5,13-16
No evangelho, Jesus continua seus ensinamentos declarando: “Vós sois o sal da terra” (v.13). Como o sal dá sabor e preserva os alimentos, é símbolo de sabedoria, sendo associado à aliança: “Jamais deixarás faltar o sal da aliança do Senhor às ofertas” (Lv 2,13). Ao comparar seus seguidores com o sal, Jesus mostra o sentido da missão no mundo, como sinais da aliança de Deus. Comprometem-se a ser aliados de Deus na construção do Reino de justiça. Eles perdem sua identidade como sal quando cessam de viver conforme as bem-aventuranças. A imagem do sal insosso, jogado fora e pisado pelas pessoas adverte para permanecer no caminho de Cristo, dando sabor ao mundo. Continuando o discurso direto aos discípulos, Jesus afirma: “Vós sois a luz do mundo” (v.14). A imagem da cidade irradiando luz, desde o alto, e atraindo todos os povos mostra como deve ser a missão dos cristãos no mundo. Mediante a fé em Jesus e o compromisso com o evangelho, eles iluminam a todos, como uma vela acesa no candelabro. “Brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus” (v.16). A ação eficaz e o estilo de vida dos discípulos/as levam outras pessoas a reconhecer e dar graças a Deus. A 1ª leitura reflete um contexto após o exílio na Babilônia. Em meio ao desafio da reconstrução do país, o profeta acentua que a verdadeira religião exige justiça social, amor fraterno. Ser luz significa repartir a comida, acolher o pobre, vestir o nu, ser solidário. O salmo realça que o justo brilha como a luz. Sua justiça permanece para sempre, pois é compassivo e sabe partilhar com os pobres. Paulo, na 2ª leitura, anuncia o mistério de Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos (1,23). Ele salienta que o sucesso de seu ministério está na ação do Espírito Santo, não na capacidade humana ou na oratória.

2. Atualizando
Somos chamados a ser sal da terra e luz do mundo mediante as boas obras de justiça e misericórdia. Como discípulos/as, recebemos a força do Cristo crucificado, para comunicarmos gosto e sabor ao mundo, ajudando as pessoas a permanecer na fidelidade ao projeto de Deus.

3. A palavra de Deus na celebração
Do Senhor que se reparte na mesa da palavra e na mesa eucarística recebemos a força de ser sal da terra e luz do mundo. Como pedimos na oração pós-comunhão “que possamos viver de tal modo unidos em Cristo, que tenhamos a alegria de produzir muitos frutos para a salvação do mundo”.

4. Dicas e sugestões
Vejam sugestões vejam no Dia do Senhor, Tempo Comum, Ano A, p. 81-87.

 

 

Assinatura Anual Digital

Assinatura Anual Impressa

COLABOREM COM A REVISTA DE LITURGIA!!

ASSINE, RENOVE E DIVULGUE A REVISTA DE LITURGIA!!

Revista de Liturgia Ed 277 – A Palavra, uma possibilidade para a Igreja

 

Related Posts

Deixe uma resposta