Livro Celebrando o Dia do Senhor – Tempo Comum ABC

6º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

16 de fevereiro de 2020

Autoras:
Ir. Neusa Bresiani é Pia Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui
no serviço da formação litúrgica nas comunidades.

Ir. Helena Ghiggi é Pia Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

1. Aprofundando os textos bíblicos: Eclesiástico 15,16-21; Salmo 119 (118); 1Coríntios 2,6-10; Mateus 5,17-37
Jesus vem para cumprir a Lei e os Profetas, ou seja, as Escrituras. Com a autoridade de Messias e Filho de Deus, ele conduz os ensinamentos antigos à prática perfeita. Os seus seguidores são impelidos a buscar a verdadeira justiça, agindo conforme a vontade amorosa de Deus. Jesus lembra o mandamento: “Não cometerás homicídio” (v. 21; Ex 20,13) para extrair um sentido mais radical. Compromete seus discípulos/as a preservar não apenas a vida física, mas também a integridade moral. Exige a superação da raiva como meio para conservar a fraternidade, sem necessidade de recorrer aos tribunais. Mostra que a reconciliação com o irmão é condição para celebrar o culto agradável a Deus. Jesus recorda ainda outro mandamento do Decálogo: “Não cometerás adultério” (v.27; Ex 20,14). Ele destaca que a pessoa deve centrar todo o ser em Deus, pois antes do ato físico, o adultério ocorre no coração. O Reino de Deus, a vida de justiça, cria relações diferentes entre homem e mulher. Por isso, ao retomar Dt 24,1-4, Jesus ressalta que o matrimônio é um pacto de amor e fidelidade (vv.31-32). Jesus afirma ainda que o empenho dos cristãos em viver a sinceridade e a caridade, torna inútil qualquer juramento. A 1ª leitura salienta que o Senhor dirige seu olhar para os que o temem (v.20). O ser humano, dotado de liberdade, tem a capacidade para escolher entre o bem e o mal. O Senhor deseja que todos escolham o caminho da vida, da salvação. O salmo, o mais longo do saltério, está organizado em forma de acróstico, conforme o alfabeto hebraico. Expressa a fé e a confiança na palavra de Deus, ensinando a cumpri-la e a guardá-la de todo o coração. Na 2ª leitura, Paulo fala da misteriosa sabedoria de Deus, destinada para a nossa glória desde a eternidade. Se os poderosos deste mundo a tivessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória.

2. Atualizando
jesus revela a vontade do Pai e pede uma adesão total ao evangelho. Os seus ensinamentos apontam para o caminho da vida, libertando-nos de uma observância superficial dos mandamentos. É impossível honrar e prestar culto verdadeiro a Deus, se o irmão é desrespeitado em sua dignidade.

3. A palavra de Deus na celebração
Nesta celebração, numa atitude de discípulos, somos formados pelo Senhor que nos desafia a praticar a justiça com radicalidade e a obedecer aos mandamentos de um modo novo e total. O caminho da felicidade proposto por Jesus é exigente e implica escolhas de nossa parte. Alimentados pelo pão da vida, possamos caminhar sempre em busca da verdadeira vida.

4. Dicas e sugestões
Vejam sugestões vejam no Dia do Senhor, Tempo Comum, Ano A, p. 89-95.

 

COLABOREM COM A REVISTA DE LITURGIA

ASSINE, RENOVE E DIVULGUE A REVISTA DE LITURGIA

 

Assinatura Anual Digital

Assinatura Anual Impressa

Revista de Liturgia Ed 277 – A Palavra, uma possibilidade para a Igreja

Related Posts

Deixe uma resposta