10 de janeiro de 2021

1. Aprofundando os textos bíblicos:
Isaías 42,1-4.6-7; Salmo 29(28); Atos 10,34-38; Marcos 1,7-11

O trecho do Evangelho começa acentuando a pregação profética de João Batista, que proclama a conversão
como caminho de preparação para acolher o Messias. Pessoas de toda a região da Judeia se aglomeravam para ouvir João Batista, mas ele direciona as
atenções para alguém “mais forte”. O Batista afirma não ser digno de “desamarrar a correia das sandálias”
de Jesus, que vem com a plenitude do Espírito Santo.
João batizava por meio de um rito de passagem na água do Jordão, que evocava a libertação do povo da
escravidão no Egito. As palavras de João Batista indicam a chegada do tempo da salvação definitiva, anunciado pelas profecias com a efusão do Espírito de Deus(Is 32,15; 44,3).
Jesus é o doador do Espírito Santo, que instaura um mundo novo de paz e fraternidade. Ele “veio de Nazaré”, uma aldeia insignificante na Galileia, “e foi batizado por João no rio Jordão”. Jesus é a
Vida (Jo 1,4; 14,6) e entra na água para lhe dar a força vivificante para o nosso batismo. “Os céus rasgam-se” (Is 63,19), Deus se aproxima da humanidade na pessoa de Jesus.
A profecia do Dêutero Isaías acentua que o Servo é escolhido para estabelecer o direito e a justiça,
abrir os olhos dos cegos, libertar os prisioneiros e os que estão nas trevas. O salmo é um hino de louvor ao Deus da criação, que vela sobre seus filhos garantindo
a vida e a paz. A leitura dos Atos apresenta o “querigma”, primeiro anúncio de Jesus de Nazaré, o ungido
de Deus, que passou fazendo o bem e curando todos os males.

2. A palavra na vida

A pomba do Espírito pousa sobre a humanidade
como pousou sobre as águas no início da criação e sobre
Jesus no Jordão, revelando sua identidade como
Filho e Servo. Ela é sinal de que Deus faz de nós novas
criaturas e renova conosco sua aliança de amor, jamais
rompida, graças à sua eterna compaixão.

3. A palavra na celebração

Em nossa reunião, celebrando o batismo de Jesus,
fazemos memória de que somos povo sacerdotal real,
comunidade messiânica, pois nós anunciamos, na eucaristia,
as maravilhas daquele que nos chamou das
trevas à sua luz; filhos eleitos e amados do Pai.

Autoras:

Ir. Neusa Bresiani é Pia Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades. Ir. Helena Ghiggi é Pia Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.  

COLABORE COM A  REVISTA DE LITURGIA!!

SEJA UM ASSINANTE E DIVULGUEM A REVISTA DE LITURGIA !!

Related Posts

Deixe uma resposta