Celebração da Palavra

CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA | 3º DOMINGO DO ADVENTO ANO C

O que segue é um Roteiro de Celebração dominical da Palavra presidida por ministro ou ministra leigo/a. As leituras indicadas são do Lecionário Dominical. Para a ação de graças, sugerimos uma oração recitada, mas há versões cantadas. Confira no final do roteiro, a letra  desta Ação de Graças. As melodias estão gravadas no CD das Paulinas-COMEP, Ação de Graças no Dia do Senhor.

3º DOMINGO DO ADVENTO – ANO C – 16 DE DEZEMBRO

 Domingo da alegria

Nossa celebração é uma exultação de imensa alegria, porque aquele que esperamos já está conosco, em nosso meio.  Ele mesmo vem para endireitar nossos caminhos e para nos conduzir à festa do seu natal, num grande sinal da sua manifestação no meio dos pobres, humildes e sofredores.

 

  1. RITOS INICIAIS

 

– Canto de abertura e procissão

Alegrai-vos, irmãos, H1, p. 18; alegrai-vos, ele está bem perto, H1, s p. 6; O Senhor virá libertar o seu povo, ODC, p. 295     

 

– Acendimento da terceira vela da coroa

Enquanto se acende a vela da coroa (no primeiro domingo uma, no segundo duas, e assim por diante), alguém reza:

Bendito seja, Deus da vida, pela luz do Cristo, estrela da manhã, a quem esperamos com toda a ternura do coração!

– Sinal-da-Cruz

– Saudação

C:  Irmãos e irmãs, o Senhor está perto! Sua graça e sua paz estejam com vocês!

T: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

– Acolhida, sentido da celebração e recordação da vida

O animador(a) com breves palavras, acolhe as pessoas sobretudo os visitantes, introduz o sentido do domingo e convida a assembléia a lembrar fatos que são sinais da vinda do Senhor acontecendo hoje em nossa vida, na comunidade e no mundo.

  • Ato penitencial

O(a) coordenador(a) convida a assembléia a se inclinar, como sinal de conversão, depois propõe as seguintes invocações:

Senhor, que vens visitar o teu povo na paz, tem piedade de nós!

Cristo, que vens fortalecer os fracos, tem piedade de nós!

Senhor, que vens criar um mundo novo, tem piedade de nós!

O Deus de ternura e misericórdia
tenha compaixão de nós,
perdoe os nossos pecados,
nos dê a graça da vida plena
e nos faça chegar renovados
à festa da sua manifestação
em nossa humanidade. Amém. 

– Oração inicial

 Ó Deus do universo,
tu vês o teu povo preparando,
fervoroso, o natal do Senhor.
Dá-nos a graça de trilhar com alegria
o caminho que ele nos abriu
e celebrar sempre o teu louvor.
Por Cristo, nosso Senhor!  Amém.

  1. LITURGIA DA PALAVRA

 – 1a leitura: Sofonias 3,14-18a

Diante das ameaças de inimigos que o povo de Israel vem sofrendo, o profeta Sofonias sonha com o dia do Senhor e o anuncia à sua comunidade.

 – Salmo responsorial (Cântico de Isaías 12,2-6) (H2,  p. 61)

Com este canto de confiança do profeta Isaías, demos graças ao nosso Salvador que nos abre a fonte onde jorra a verdadeira vida.

Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria.

 

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,

porque ele fez prodígios!

Sua mão e o seu braço forte e santo

alcançaram-lhe a vitória.

 

O Senhor fez conhecer a salvação

e às nações sua justiça;

recordai o seu amor sempre fiel

pela casa de Israel.

 

Os confins do universo contemplaram

a salvação do nosso Deus.

Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,

alegrai-vos e cantai.

 

– 2a leitura: Filipenses 4,4-7

Paulo, fazendo a experiência da prisão, escreve para a comunidade da cidade grega de Filipos, mostrando qual é a atitude cristã diante das necessidades e dificuldades por causa do evangelho.

 

– Aclamação ao evangelho  (H 1,  p. 46)

Aleluia, aleluia! (bis)

O Espírito consagrou-me (bis)

e mandou-me anunciar (bis)

boa nova para os pobres! (bis)

Aleluia, aleluia! (bis)

 

Ou: Aleluia, ó Senhor, abre os ouvidos, H 1,  p. 61.

 – Evangelho: Lucas 3,10-18

Escutamos a continuação do evangelho do domingo passado, desta vez Lucas apresenta a pregação de João Batista e o testemunho que ele deu sobre Jesus.

Meditação – Quem preside propõe uma palavra de vida para a comunidade a partir da lectio dos textos bíblicos deste domingo.  

Para concluir a meditação:

Lucas descreve a preparação da atividade pública de Jesus através de João Batista, o qual aparece no deserto como pregador ambulante. Lucas limita-se a realçar o que era típico em seu apostolado: pregar o batismo de conversão para remissão dos pecados aos que vinham batizar-se com ele. Mas a penitência que João impõe não é nos moldes tradicionais, como cobrir-se de cilício ou cinza, mas é uma conversão (metanóia), mudança radical de prática em vista da justiça e caridade. João não reprova os grupos que iam ter com ele – e as profissões relatadas (cobradores de imposto e soldados) não eram muito populares porque comprometidas com o sistema que impunha grandes sofrimentos aos pobres -, mas exige uma vinculação com a justiça.

João toma o cuidado de não vincular os seguidores à sua pessoa, nem os força a um seguimento. Tinha plena consciência de que não era o Messias, mas apenas o seu precursor. Coloca-se em relação a Jesus, da mesma forma que o servo coloca-se em relação ao seu senhor na obrigação de desatar os longos cordões trançados das sandálias. Seu batismo é pela água, enquanto o do Messias será no Espírito Santo e no fogo. O fogo aqui tem sentido metafórico: indica a força do Espírito Santo.

Nesta celebração, também nós vamos a João e perguntamos: “O que devemos fazer?”. Ao mesmo tempo, como seguidores daquele que veio batizar no Espírito Santo e no fogo, somos chamados a retomar a radicalidade do nosso discipulado e a assumir mais nosso batismo, como mergulho “no fogo abrasador de Deus”, conforme a expressão de Madre Sinclética, mãe da Igreja do século IV.

– Profissão de fé

 – Preces

C: Irmãos e irmãs, imploremos a Cristo, sol de nossas vidas, cantando:

T: Vem, Senhor, vem Senhor, vem libertar o seu povo!

– Senhor, escuta o gemido da tua criação e anima com o teu amor maternal todas as pessoas e grupos que trabalham pela preservação da terra.

– Realiza entre nós tua promessa de paz, faze cessar a guerra e a violência sobre toda a terra e que seja feita justiça aos pobres e excluídos.

– Senhor, nós te pedimos pela Igreja, conduze-a ao deserto, fala ao seu coração para que recobre forças para anunciar o teu nome e ser testemunha do teu amor fiel.

– Concede a nossa comunidade a tua constante proteção, dá-nos de beber o vinho da alegria e derrama sobre nós o óleo do teu carinho.

Preces espontâneas…

C: Ó Pai, ouve a oração do teu povo, que te invoca em nome de Jesus, nosso Senhor.

T: Amém.

3. Ação de graças

– Coleta fraterna

É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembléia canta um canto adequado.

– Da palavra à refeição

O(a) animador(a) convida a assembléia a se aproximar do altar. fazendo o seguinte convite:

Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós este pão consagrado, memória viva do corpo de Jesus, razão da nossa alegria, a quem esperamos com lâmpadas nas mãos.

Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem um breve inclinação. Os/as cantores entoam:

Ó Vem, Senhor, não tardes mais,
Vem saciar nossa sede de paz.    

– Oração de ação de graças

O(a) coordenador(a), ocupando o lugar no altar, convida a assembléia para o louvor:

C: O Senhor esteja com vocês.

T: Ele está no meio de nós.

C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T: É nosso dever e nossa salvação.

Escolher uma das propostas cantadas a partir da p… deste livro ou o que segue:

C: É muito bom te louvar, ó Deus bondoso e fiel! Desde o começo do mundo, tu te revelaste aos antigos pais e mães da nossa fé como Deus santo e amigo da humanidade. Por meio dos profetas, falaste ao povo da primeira aliança e tuas palavras se cumpriram em Jesus teu filho amado a quem esperamos.

T: Vem, vem, Senhor Jesus, vem!Vem, bem-amado Senhor!

C: João Batista, lá no deserto, apontou para nós o Messias e deu testemunho de sua luz. Maria, recebendo o anúncio do anjo, ficou grávida do Verbo. E tuas promessas se cumpriram na plenitude dos tempos pela vida de Jesus Cristo, nosso Salvador! Hoje, teu povo reunido em louvação é sinal de que teu reino está chegando. Acolhe nosso desejo de sermos unidos em Jesus Cristo e de vermos brilhar em nossa humanidade o esplendor da sua luz.

 T: Vem, vem, Senhor Jesus, vem! Vem, bem-amado Senhor!

C: Por este sinal do corpo do teu Filho, que alimenta e sustenta a tua Igreja, expressamos nossa fé na vida vence a morte. Apressa o tempo da vinda do teu reino; recebe o louvor de toda a criação e a prece que elevamos a ti com as palavras que Jesus nos ensinou:

T: Pai nosso… pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

– Rito da comunhão

C: Assim diz o Senhor: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comigo”. (Ap 3, 20).

Mostrando o pão consagrado:

C: Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo.

T: Senhor, eu não sou digno(a)…

Distribuição da comunhão – canto

– Canto (partilha do pão)

Ele virá com um pá, H1, p 34 e s p. 47; Teu corpo e sangue, H1 p. 86

 – Oração final

Nós te louvamos, Deus de bondade,
porque nos alegraste na mesa da tua comunhão.
Que a tua misericórdia nos acompanhe,
nos torne portadores da boa nova da libertação
e nos prepare para as festas que se aproximam.
Por Cristo, nosso Senhor! Amém.

  1. RITOS FINAIS

– Comunicações

– Bênção                

C: O Deus da paz nos santifique totalmente e nos mantenha vigilantes para o dia da vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, agora e para sempre.

T: Amém.

C: Abençoe-nos o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

T: Amém.

A: Vamos em paz e o Senhor nos acompanhe.

T: Graças a Deus!

– Canto final

 

_________________

 

Outra alternativa (cantada) para a Oração de Ação de Graças

Louvação para os domingos do advento – 1

( H1, p. 73  L e M: Geraldo Leite)

C: O Senhor esteja com vocês.

T: Ele está no meio de nós!

C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T: É nosso dever e nossa salvação!

O(a) coordenador(a) canta e a assembléia repete:

 

É bom cantar um bendito,
Um canto novo, um louvor! (bis)

  1. Ao Deus dos tempos de outrora,

suprema força da história,

que merece toda glória,

por Jesus nosso Senhor! (bis)

  1. Por Jesus, o prometido,

pelos profetas predito,

pela virgem concebido

e esperado com amor! (bis)

  1. Jesus, por João anunciado,

presente entre nós mostrado,

por ele o prazer é dado

de Espera-lo com ardor! (bis)

  1. Ao preparar seu natal,

querer sua vinda final,

quando finda todo mal

e se acaba toda dor! (bis)

  1. Que na prece vigiemos,

de esperar não nos cansemos,

à sua vinda nos achemos,

celebrando seu louvor. (bis)

  1. E agora, ó Desejado,

o teu povo congregado,

aos céus e a terra irmanado,

louva e bendiz ao Senhor! (bis)

C: Por este sinal do corpo do teu Filho, que alimenta e sustenta a tua Igreja, expressamos nossa fé na vida vence a morte. Apressa o tempo da vinda do teu reino; recebe o louvor de toda a criação e a prece que elevamos a ti com as palavras que Jesus nos ensinou:

T: Pai nosso… pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

 

Rito da comunhão …

Related Posts

Deixe uma resposta