Dia do Senhor

Solenidade da Assunção de Maria | 19 de agosto de 2018

1. Aprofundando os textos bíblicos: Apocalipse 11,19a; 12,1.3-6a.10ab; Salmo 45(44); 1Coríntios 15,20-27a; Lucas 1,39-56
Maria acolhe a Palavra do Senhor e participa do projeto de salvação (1,26-38). Partiu apressadamente de Nazaré na Galileia para visitar Isabel, numa aldeia simples da Judeia. Saudou Isabel, enchendo toda a casa da alegria e da paz do Filho Jesus, que traz consigo. A alegria de João Batista (1,15) é sinal do cumprimento da promessa de Deus em Jesus Cristo. Isabel, com palavras ditas outrora a Jael (Jz 5,24) e a Judite (Jt 13,18), acolhe Maria como a bendita por excelência que colabora para
a chegada de Jesus, a bênção de Deus para a humanidade. Plena do Espírito Santo, ela proclama Maria a mãe do meu “Senhor”, título atribuído a Jesus glorificado. O louvor de Isabel, em voz alta, termina enfatizando a adesão de Maria: Bem-aventurada aquela que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido. Maria engrandece o Senhor com o Magnificat (1,46-55), um hino de louvor que contempla a história da salvação na perspectiva de seu cumprimento messiânico. O agir misericordioso de Deus em favor dos pequenos lembra especialmente o cântico de Ana (1Sm 2,1-10), mas também o de Miriam (Ex 15,19-21), Débora (Jz 5,1-31), Judite (Jt 16,1-17). Maria louva o Deus Salvador, que guiou
o caminho de esperança do povo fiel (Sf 2,3; 3,11-13). O que Deus realiza agora por meio do seu Filho se estende sobre aqueles que o temem. Como no êxodo, Deus realiza proezas com seu braço que transformam os sistemas e relações desiguais. A leitura do Apocalipse destaca o sinal da mulher, que gerou o Messias no qual realizou-se a salvação, a força e a realeza de Deus que sustenta a fé e a esperança do povo em meio às tribulações. O salmo descreve uma celebração nupcial no palácio e, aplicado ao rei ideal, faz referência a Cristo e a Igreja esposa.

2. A palavra na vida
Maria participa da glória de Jesus e indica o caminho a percorrer para chegar à vida em plenitude com o Pai: Fazei tudo o que ele vos disser! (Jo 2,5).

3. A palavra na celebração
A celebração litúrgica de hoje, agradeçamos a Deus que nos cumula de alegria e de esperança os pobres e humildes, como profetizou a Maria em seu cântico.

 

Texto:

Ir. Neusa Bresiani é pertencente a Irmãs Pias Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da Rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.
Ir. Helena Ghiggi é pertencente a Irmãs Pias Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

Deixe uma resposta