Dia do Senhor

15º Domingo do Tempo Comum ano B | 15 de julho de 2018

1. Aprofundando os textos bíblicos: Amós 7,12- 15; Salmo 85(84); Efésios 1,3-14; Marcos 6,7-13
Jesus chamou os Doze para participarem de sua missão a serviço do Reino de Deus. Começou a enviá-los “dois a dois”, maneira de evangelizar que confere autoridade maior à palavra anunciada (Dt 19,15). Deulhes poder sobre os espíritos impuros, para libertar as pessoas da exclusão como havia feito desde o início de seu ministério (1,21-28). Prescreveu-lhes que nada levassem para o caminho, apenas o estritamente necessário. O cajado do profeta itinerante faz lembrar a missão libertadora de Moisés (Ex 4,17) e as sandálias nos pés facilitam o caminhar e a agilidade. Nem pão, bolsa, dinheiro, sinal de desprendimento da própria segurança, consequência da opção livre no seguimento a Jesus e seu projeto. Com a confiança posta totalmente em Deus, os discípulos levam o Espírito de Jesus e sua Palavra que humaniza a vida de todos, especialmente dos mais necessitados. Quando chegam a uma localidade,os discípulos missionários permanecem em uma casa, acolhendo a hospitalidade oferecida, a solidariedade
das pessoas. A identificação com Jesus inclui também a rejeição, a falta de acolhimento, manifestada
no gesto simbólico de sacudir a poeira. Os discípulos proclamavam a conversão, a mudança da mente para acolher a proposta de Jesus, a Boa Nova do Reino (1,14-15. Expulsavam demônios, ungiam com óleo muitos enfermos e os curavam, descrição que mostra a continuidade com as ações realizadas por Jesus em favor da vida. A unção com óleo era medicinal (Lc 10,34) e também símbolo para a cura integral (Tg 5,14). Amós é chamado por Deus para exercer uma missão profética a serviço do povo injustiçado no Reino do Norte. O salmo expressa a proximidade da salvação.

 

2. A palavra na vida
Como Amós, um agricultor, Deus fala ao povo hoje e continua capacitando pessoas para a missão profética. Pelo batismo somos missionários do Reino de Deus, enviados a evangelizar com a autoridade/serviço de Jesus, com seus gestos e palavras.

3. A palavra na celebração
Em Cristo que nos libertou pelo seu sangue, somos filhos e herdeiros do Reino, com a missão de sermos
testemunhas vivas e eficazes desta graça abundante e inesgotável.

Deixe uma resposta