Dia do Senhor

16º Domingo do Tempo Comum ano B | 22 de julho de 2018

1. Aprofundando os textos bíblicos: Jeremias 23,1-6; Salmo 23(22); Efésios 2,13-18; Marcos 6,30-34
A missão dos “apóstolos”, isto é, “enviados”, situada entre a atuação profética de João Batista e sua morte (6,14-29), mostra que o seguimento de Jesus pode implicar sofrimento e morte. Ao voltarem do trabalho missionário (6,7-13), os apóstolos reuniram-se com Jesus e contaram o que fizeram e ensinaram. O Mestre Jesus os convida para um lugar deserto a fim de descansar um pouco, restaurar as forças no encontro com o Deus da vida por ele revelado. Os que procuravam Jesus e seus discípulos eram tantos, a ponto de eles não encontrar tempo para comer. Então, partiram de barco pelo lago
da Galileia, mas quando chegaram ao lugar desejado encontraram uma multidão de pessoas vinda de todas as cidades, das regiões vizinhas. Ao desembarcar, Jesus viu uma grande multidão e encheu-se de compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor. A “compaixão” é a característica primordial de Deus (Ex 34,6), manifestada em Jesus que reúne todos os povos. “Como ovelhas sem pastor” realidade denunciada desde o tempo dos profetas (1Rs 22,17; Zc 10,2), que constatam a função mal exercida pelos dirigentes do povo. Jesus se revela como o bom pastor prometido por Deus (Ez 34), pois dá a vida em favor das ovelhas (Jo 10,11-16). Ele começou a ensinar-lhes muitas coisas, reunindo a comunidade
em torno da Palavra e do Pão que a faz reconhecê-lo como o pastor que a constitui, alimenta e a conduz. Na leitura do profeta Jeremias, Deus reunirá as ovelhas dispersas e suscitará pastores para cuidar delas. O salmo proclama que o Senhor é o pastor que nos para as fontes tranquilas. A leitura aos Efésios mostra que, por meio da cruz de Cristo, os povos foram reconciliados com Deus e reunidos em um só corpo para viverem a vida nova.

2. A palavra na vida
Jesus nos impulsiona a estar atentos para perceber as necessidades do povo e para ajudar as pessoas a encontrar descanso.

3. A palavra na celebração
Como rebanho, encontramo-nos no regaço do Bom Pastor para ouvir sua palavra, refazer nossas forças e
celebrar a eucaristia, para vivermos a plena comunhão da aliança com o Senhor.

 

Textos:

Ir. Neusa Bresiani é discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da Rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.
Ir. Helena Ghiggi é discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

Deixe uma resposta