Celebração da Palavra

CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA | 28º Domingo do Tempo Comum ano B

O que segue é um Roteiro de Celebração dominical da Palavra presidida por ministro ou ministra leigo/a. As leituras são tomadas do Lecionário dominical. Para a ação de graças, sugerimos uma oração recitada, mas há versões cantadas. Cf. CD COMEP, Ação de Graças no Dia do Senhor.

 

28º Domingo do Tempo Comum ano B

Domingo do jovem rico.

Recordando o episódio do jovem rico, recebemos de Jesus uma palavra para deixar tudo e seguir o nosso Mestre.

 

  1. RITOS INICIAIS

Chegada

Enquanto as pessoas vão chegando, o(a) animador(a) do canto vai ensaiando as músicas, sobretudo a parte da assembléia, e o faz de tal maneira que já vai criando um clima de oração. Momentos antes da celebração, a assembléia pode ser convidada a se preparar pelo silêncio ou através de um refrão meditativo, por exemplo: “Onde reina o amor, fraterno amor, onde reina o amor, Deus aí está”. O refrão termina bem baixinho, o silêncio se prolonga  e só então se anuncia o canto de abertura.

 

  • Canto de abertura e procissão

– Canto de abertura

Se caminhar é preciso, CF 2000; Senhor, se as faltas apontas, H 3, p. 128-9.

Entram em procissão os acólitos com o incenso, a cruz e as velas. Também o leitor, com o livro das leituras, e o coordenador ou coordenadora da celebração…

  • Sinal-da-cruz
  • Saudação

C: A paz do Senhor esteja com vocês.

T: O amor de Cristo nos uniu.

  • Acolhida, sentido da celebração e recordação da vida

O(a) animador(a), ou quem preside, com breves palavras, acolhe as pessoas, sobretudo as visitantes.

Introduz o sentido do domingo e convida a assembleia a lembrar fatos que são sinais da páscoa do Senhor, acontecendo hoje em nossa vida, na comunidade, no mundo…

  • Ato penitencial
  • Hino de louvor
  • Oração inicial

– Oração inicial

Deus, mãe de consolação,

nós te pedimos que tua graça

sempre nos guie e nos acompanhe,

para que sejamos atentos e firmes

na prática da caridade e dos teus mandamentos.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

  1. LITURGIA DA PALAVRA

As introduções das leituras que seguem, é mais uma ajuda para a equipe que vai preparar a celebração. Melhor não fazer tais introduções na celebração. Sugerimos que se cante um refrão antes de começar as leituras:

Tua Palavra é lâmpada para meus pés, Senhor.

Lâmpada para meus pés e luz, luz para o meu caminho. (bis)

– 1a leitura: Sabedoria 7,7-11

O livro da Sabedoria surgiu um século antes de Cristo, no meio de uma comunidade de israelitas que vivia na cidade de Alexandria. Nesta sociedade rica e poderosa, o povo de Deus corria o perigo de trocar valores que eram fundamentais na sua cultura por outros costumes. Assim, os sábios que escreveram este livro dão o seguinte testemunho que vamos acolher como palavra de Deus para nós.

 

– Salmo de resposta 90(89)    (H 3, p. 162-3)

Expressemos nossa confiança no Senhor que protege nossa vida frágil e nos salva em seu amor. Que ele confirme a obra de nossas mãos.

 

Saciai-nos, ó Senhor, com vosso amor,

e exultaremos de alegria.

 

Ensinai-nos a contar os nossos dias,

e dai ao nosso coração sabedoria!

Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?

Tende piedade e compaixão de vossos servos!

 

Saciai-nos, de manhã, com vosso amor,

e exultaremos de alegria todo o dia.

Alegrai-nos pelos dias que sofremos,

pelos anos que passamos na desgraça.

 

Manifestai a vossa obra a vossos servos

e a seus filhos revelai a vossa glória!

Que a bondade do Senhor e nosso Deus

repouse sobre nós e nos conduza!

 

– 2a leitura: Hebreus 4,12-13

O autor da Carta aos Hebreus descreve como a palavra de Deus age na vida dos fiéis. Vamos ouvir.

 

– Evangelho: Marcos 10,17-27

Jesus está a caminho de Jerusalém e continua os seus ensinamentos sobre o que significa ser discípulo ou discípula. Desta vez, um jovem rico vai até Jesus para saber o que deve fazer para ser discípulo. Vamos ouvir e acolher a palavra de Jesus para nós que queremos aprofundar nossa adesão a ele.

 

– Proclamação do evangelho

Enquanto se canta a aclamação o leitor se desloca para proclamar o evangelho: se inclina diante do altar e reza em silêncio:

Purifica, Senhor, meu coração e meus lábios,

para que eu anuncie dignamente o teu evangelho.

Se o evangeliário estiver sobre o altar, os acólitos tomam as velas e acompanham o trajeto do leitor, levando o livro do altar para a estante. Caso contrário, depois de rezar diante do altar, o leitor, acompanhado pelos acólitos, vai diretamente à estante, abre o livro e saúda a assembleia dizendo:

L: O Senhor esteja com vocês.

T: Ele está no meio de nós.

Fazendo o sinal-da-cruz no livro, na fronte, na boca e no peito, anuncia:

L: Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos

T: Glória a vós Senhor.

Incensa o livro, proclama o evangelho e conclui a proclamação, dizendo:

L: Palavra da salvação.

T: Glória a vós, Senhor.

Mostra o livro para a assembléia, que se inclina num gesto de adesão à Palavra.

  • Partilha da Palavra – dica para a homilia

– Para concluir a meditação

Jesus estava a caminho de Jerusalém quando alguém o procura. A missão era dura para Jesus e sua proposta de comunidade e de reino não estava agradando as autoridades. A pessoa que procura Jesus faz uma consulta em termos tradicionais: o que é preciso fazer para conseguir a vida eterna? Jesus propôs o caminho comum, os mandamentos. Mas ele não queria escutar o que todo mundo já sabe. Jesus, então, olhou-o com amor e lhe propôs algo que lhe faltava: despojar-se de tudo.

Diante da recusa do seu interlocutor, Jesus voltou-se para os discípulos, deixando claro que renunciar aos bens que amarram a vida é uma exigência do discipulado. E mostra que é impossível este despojamento se julgarmos conquistá-lo com nosso próprio esforço, cumprindo simplesmente a lei ou valendo-nos da fama de um mestre. Só a partir de uma adesão à pessoa e ao projeto de Jesus, é possível colocar em comum as próprias riquezas.

A celebração litúrgica é momento de escuta e de aprofundar nossa relação com Jesus e, nele, com o Pai. Ao esforço da comunidade de se colocar sob o apelo da palavra de Deus, há o misterioso trabalho do Espírito de Deus, que realiza a transformação dos corações.

 

– Da palavra à refeição

Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor. Que esta comunhão nos firme no caminho da partilha e da consagração ao reino.

 

  • Profissão de fé
  • Preces

C:  Irmãos e irmãs, Jesus intercede agora por todo o seu povo junto do Pai.

Vamos nos unir à sua prece, dizendo:

T: Escuta-nos, Senhor.

– Realiza tua promessa de paz a todos os povos, que se acabem os conflitos entre nações, que não haja discórdia nas famílias.

– Envia a força renovadora do teu Espírito sobre todas as Igrejas cristãs, para que testemunhem no mundo a alegria da ressurreição.

– Ouve, Senhor, o clamor do teu povo que sofre a humilhação do desemprego e da miséria.

– Liberta os prisioneiros, restitui a luz aos cegos, acolhe os órfãos e as viúvas.

Preces espontâneas…

C: Deus, nossa força e proteção, atende as nossas preces e guia-nos em teus caminhos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

          

3. AÇÃO DE GRAÇAS E RITO DA COMUNHÃO
  • Coleta fraterna

É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembléia canta: Utopia; Quem disse que não somos nada; Os cristãos tinham tudo em comum…

  • Da palavra à refeição

O(a) animador(a) convida a assembléia a se aproximar do altar. Vejam em cada domingo o convite para passar “Da palavra à refeição”.  Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.

Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor. Que esta comunhão firme em nós uma relação de amor com ele e entre nós.

Vós sois o caminho, a verdade e a vida,

o pão da alegria descido do céu.

 

  • Oração de ação de graças

O(a) coordenador(a), ocupando o lugar no altar, convida a assembléia para o louvor:

 

C: O Senhor esteja com vocês!

T: Ele está no meio de nós!

C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus!

T: É nosso dever e nossa salvação!

C: Nós te damos graças, ó Deus da vida,

 

porque neste dia santo de domingo

nos acolhes na comunhão do teu amor

e renovas nossos corações

com a alegria da ressurreição de Jesus.

 

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

 

C: Esta comunidade aqui reunida

recorda a vitória sobre a morte,

escutando a tua Palavra e repartindo o pão,

na esperança de ver o novo céu e a nova terra,

onde não haverá fome, nem morte, nem dor,

e onde viveremos na plena comunhão do teu amor.

 

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

 

C: Por este sinal do corpo do teu Filho,

expressamos nosso desejo de corresponder

com mais fidelidade à missão que nos deste

e invocamos sobre nós o teu Espírito.

Apressa o tempo da vinda do teu reino,

e recebe o louvor de todo o universo

e de todas as pessoas que te buscam.

 

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

 

C: Toda a nossa louvação chegue a ti

em nome de Jesus, por quem oramos

com as palavras que ele nos ensinou:

T: Pai nosso…, pois vosso é o reino,

o poder e a glória para sempre.

 

  • Abraço da paz

A: Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurreição, o Cristo nos reconciliou! Neste mesmo gesto, vamos transmitir uns aos outros a alegria da reconciliação, através do abraço da paz!

 

  • Rito da comunhão

C:  Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida.

Quem vem a mim nunca mais terá fome

e o que crê em mim nunca mais terá sede”.

Mostrando o pão consagrado:

Eis o Cordeiro de Deus,

aquele que tira o pecado do mundo!

T: Senhor, eu não sou digno(a)…

Partilha do pão consagrado – canto: ver em cada domingo.

– Canto (partilha do pão)

Ai de vós, ó ricos, H 3, p. 325; Uma coisa te falta, irmão, H 3, p. 272; Na mesa sagrada…

 

– Oração final

Ó Pai, que nos reuniste na alegria do teu louvor,

faze que o Cristo presente entre nós

reanime em nossos corações o fogo do seu Espírito.

No decorrer desta semana,

dá-nos a graça de viver com o coração fervoroso

no caminho dos teus mandamentos.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

  1. RITOS FINAIS
  • Comunicações
  • Bênção

 

C: O Deus da paz, que nos deu a alegria de celebrar este domingo,

guarde-nos em seus caminhos, e nos abençoe,

ele que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

 

– Bênção dos casais

 

O(a) coordenador(a) convida os casais a se aproximarem do altar, a se darem as mãos… Convida toda a assembléia a um momento de oração… Depois reza:

 

Deus, criaste homem e mulher

à tua imagem e semelhança e lhes entregaste

o universo inteiro, para que cuidassem dele com sabedoria.

Abençoa os casais de nossa comunidade,

fortalece a sua união,

ajuda-os a superar os conflitos,

para que em tudo teu nome seja glorificado.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

A: Vamos em paz e,

ao longo de toda esta semana,

bendigamos ao Senhor.

T: Graças a Deus.

Related Posts

Deixe uma resposta