Celebração da Palavra

RITO DA CELEBRAÇÃO DOMINICAL DA PALAVRA | 15º Domingo do Tempo Comum Ano B

Domingo do envio dos doze apóstolos.
Recebemos do Senhor a missão de pregar a conversão o dom de expulsar o mal da vida das pessoas.

 

1. RITOS INICIAIS

CHEGADA
Enquanto as pessoas vão chegando, o(a) animador(a) do canto vai ensaiando as músicas, sobretudo a parte da assembleia, e o faz de tal maneira que já vai criando um clima de oração. Momentos antes da celebração, a assembleia pode ser convidada a se preparar pelo silêncio ou através de um refrão meditativo, por exemplo: “Onde reina o amor, fraterno amor, onde reina o amor, Deus aí está”. O refrão termina bem baixinho, o silêncio se prolonga e só então se anuncia o canto de abertura.

 

• CANTO DE ABERTURA E PROCISSÃO
Eu levanto meus olhos, ODC, p. 342; Ah! Se o povo de Deus, ODC, p. 121; Fiquei foi contente, ODC, p. 160.
Entram em procissão os acólitos com o incenso, a cruz e as velas. Também o leitor, com o livro das leituras, e o coordenador ou coordenadora da celebração…

• SINAL-DA-CRUZ
• SAUDAÇÃO
C: A paz do Senhor esteja com vocês.
T: O amor de Cristo nos uniu.

• ACOLHIDA, SENTIDO DA CELEBRAÇÃO E RECORDAÇÃO DA VIDA
O(a) animador(a), ou quem preside, com breves palavras, acolhe as pessoas, sobretudo as visitantes.
Introduz o sentido do domingo e convida a assembléia a lembrar fatos que são sinais da páscoa do Senhor, acontecendo hoje em nossa vida, na comunidade, no mundo…

• ATO PENITENCIAL

• HINO DE LOUVOR

• ORAÇÃO INICIAL
Ó Deus, de toda consolação,
tu sempre nos iluminas
e nos conduzes aos teus caminhos!
Dá a todos os cristãos e cristãs
a graça da fidelidade ao teu evangelho
e a coragem de romper com tudo que lhe é contrário.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Ou:

Ó Deus, mãe de consolação,
tu nos acolhes em teu amor, tu nos chamas
no meio de nossas lutas e trabalhos
e nos fazes participar de tua missão.
Escuta as nossas preces e pedidos.
Confirma e renova em todos os que
se consagram a ti, nas diferentes religiões e culturas,
a alegria de colaborarem contigo.
Dá-lhes um coração firme, livre e despojado.
Confirma-nos por teu Espírito e torna-nos capazes
de responder sempre ao teu chamado.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

2. LITURGIA DA PALAVRA
As introduções das leituras que seguem, é mais uma ajuda para a equipe que vai preparar a celebração. Melhor não fazer tais introduções na celebração. Sugerimos que se cante um refrão antes de começar as leituras:
Tua Palavra é lâmpada para meus pés, Senhor.
Lâmpada para meus pés e luz, luz para o meu caminho. (bis)

 

• 1a LEITURA: Amós 7,12-15
A passagem que escutaremos aconteceu cerca de setecentos anos antes de Cristo, em um santuário da Samaria. De um lado, um sacerdote, funcionário do culto oficial, de outro, um estrangeiro que denuncia o formalismo da religião daquele tempo. Vamos acolher o que o Senhor nos revela.

 

• SALMO DE RESPOSTA 85(84) (H 3, p. 156-157)
Neste salmo, peçamos que o Senhor nos dê a capacidade de ouvir e responder ao seu chamado.

 

Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade
e a vossa salvação nos concedei!

 

1. Quero ouvir o que o Senhor irá falar:
é a paz que ele vai anunciar.
Está perto a salvação dos que o temem,
e a glória habitará em nossa terra.

 

2. A verdade e o amor se encontrarão,
a justiça e a paz se abraçarão.
Da terra brotará a fidelidade,
e a justiça olhará dos altos céus.

 

3. O Senhor nos dará tudo o que é bom,
e a nossa terra nos dará suas colheitas.
A justiça andará na sua frente,
e a salvação há de seguir os passos seus.

 

• 2a LEITURA: Efésios 1,3-14
Começando a Carta aos Efésios, olhando para as comunidades cristãs, Paulo coloca este hino de louvor que escutaremos.

 

• ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (H3,p. 225)
Aleluia, aleluia, aleluia!
Esta palavra de Deus, irmãos, acolham,
porém não como palavra de um de nós…
Muito ao contrário, qual verdadeiramente
uma palavra de Deus, divina voz.

 

• EVANGELHO: MARCOS 6,7-13
Ouvindo como Marcos narra o envio dos apóstolos como missionários do reino, acolhamos a palavra de Deus que nos propõe um caminho de radicalidade.

– Rito da proclamação do evangelho
Enquanto se canta a aclamação o leitor se desloca para proclamar o evangelho: se inclina diante do altar e reza em silêncio:
Purifica, Senhor, meu coração e meus lábios,
para que eu anuncie dignamente o teu evangelho.

Se o evangeliário estiver sobre o altar, os acólitos tomam as velas e acompanham o trajeto do leitor, levando o livro do altar para a estante. Caso contrário, depois de rezar diante do altar, o leitor, acompanhado pelos acólitos, vai diretamente à estante, abre o livro e saúda a assembléia dizendo:

L: O Senhor esteja com vocês.
T: Ele está no meio de nós.
Fazendo o sinal-da-cruz no livro, na fronte, na boca e no peito, anuncia:
L: Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos
T: Glória a vós Senhor.
Incensa o livro, proclama o evangelho e conclui a proclamação, dizendo:
L: Palavra da salvação.
T: Glória a vós, Senhor.
Mostra o livro para a assembleia, que se inclina num gesto de adesão à Palavra.

• PARTILHA DA PALAVRA
Rejeitado por seus contemporâneos, Jesus prega em outra parte e envia os doze com a autoridade de expulsar os espíritos impuros. As recomendações são poucas: apresentar-se pobremente, contentar-se com o que lhes é oferecido e saber o que fazer quando forem rejeitados. Os mensageiros do reino desempenham a missão no estilo de Jesus, pregador itinerante, livre de vínculos institucionais, com a missão de pregar, curar e expulsar o demônio. Diante da rejeição a boa notícia se converte em julgamento.
A exigência do Mestre leva-nos à fonte e ao sentido da missão. Não é o dinheiro que vai garantir a missão nem mesmo a competência técnica. A missão requer um profundo sentido de Deus e radicalidade no seguimento.
Nossa celebração assumindo a simplicidade como estilo e tendo como eixo a aliança de Deus com o seu povo, é sinal bem visível e profundo do reino anunciado por Jesus e nos firma na mesma missão de vencer o mal e anunciar a salvação.

 

• UNÇÃO
Depois da partilha da Palavra, pode-se fazer a unção com óleo, como sinal da salvação que o Senhor realiza em nós por meio de sua palavra. Quem coordena toma um pouco de óleo medicinal e reza:

Ó Deus, que ungiste Jesus
com o óleo da alegria para anunciar
boas notícias ao teu povo, abençoa agora este óleo
e faze que as pessoas que forem ungidas por ele
recebam a força do teu Espírito
e sintam a ternura da tua compaixão.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

Terminada esta oração, toma o óleo (mais pessoas podem ajudar) e unge a fronte de cada pessoa, enquanto a assembléia canta uma música, por exemplo: O Senhor é meu pastor, ODC, p. 40.

• Profissão de fé

• Preces

C: Irmãos e irmãs, Jesus intercede agora por todo o seu povo junto do Pai.
Vamos nos unir à sua prece, dizendo:

T: Escuta-nos, Senhor.

– Realiza tua promessa de paz a todos os povos, que se acabem os conflitos entre nações, que não haja discórdia nas famílias.
– Envia a força renovadora do teu Espírito sobre todas as Igrejas cristãs, para que testemunhem no mundo a alegria da ressurreição.
– Ouve, Senhor, o clamor do teu povo que sofre a humilhação do desemprego e da miséria.
– Liberta os prisioneiros, restitui a luz aos cegos, acolhe os órfãos e as viúvas.
Preces espontâneas…
C: Deus, nossa força e proteção, atende as nossas preces e guia-nos em teus caminhos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

– Canto (partilha do pão)
Quantas vezes, Senhor, desprezamos, H 3, p. 266-7; Nós te damos muitas graças, ODC, p. 269; Eu vim para que todos tenham vida, H2, p. 142.

 

3. AÇÃO DE GRAÇAS E RITO DA COMUNHÃO

• COLETA FRATERNA
É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta: Utopia; Quem disse que não somos nada; Os cristãos tinham tudo em comum…

 

• DA PALAVRA À REFEIÇÃO
O(a) animador(a) convida a assembléia a se aproximar do altar. Vejam em cada domingo o convite para passar “Da palavra à refeição”. Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.

Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo do Senhor. Que esta comunhão nos firme na escola do seu serviço.

Vós sois o caminho, a verdade e a vida,
o pão da alegria descido do céu.

 

• ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS
O(a) coordenador(a), ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor:

C: O Senhor esteja com vocês!
T: Ele está no meio de nós!
C: Demos graças ao Senhor, nosso Deus!
T: É nosso dever e nossa salvação!

 

C: Nós te damos graças, ó Deus da vida,
porque neste dia santo de domingo
nos acolhes na comunhão do teu amor
e renovas nossos corações
com a alegria da ressurreição de Jesus.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

 

C: Esta comunidade aqui reunida
recorda a vitória sobre a morte,
escutando a tua Palavra e repartindo o pão,
na esperança de ver o novo céu e a nova terra,
onde não haverá fome, nem morte, nem dor,
e onde viveremos na plena comunhão do teu amor.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

C: Por este sinal do corpo do teu Filho,
expressamos nosso desejo de corresponder
com mais fidelidade à missão que nos deste
e invocamos sobre nós o teu Espírito.
Apressa o tempo da vinda do teu reino,
e recebe o louvor de todo o universo
e de todas as pessoas que te buscam.

 

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

 

C: Toda a nossa louvação chegue a ti
em nome de Jesus, por quem oramos
com as palavras que ele nos ensinou:

 

T: Pai nosso…, pois vosso é o reino,
o poder e a glória para sempre.

• ABRAÇO DA PAZ
A: Irmãos e irmãs, por sua morte e ressurreição, o Cristo nos reconciliou! Neste mesmo gesto, vamos transmitir uns aos outros a alegria da reconciliação, através do abraço da paz!

• RITO DA COMUNHÃO
C: Assim disse Jesus: “Eu sou o pão da vida.
Quem vem a mim nunca mais terá fome
e o que crê em mim nunca mais terá sede”.
Mostrando o pão consagrado:

Eis o Cordeiro de Deus,
aquele que tira o pecado do mundo!
T: Senhor, eu não sou digno(a)…

Canto (partilha do pão)
Enviados ao mundo por ti, H 3, p. 266-267; Salmo 134, ODC, p. 59, refrão 4.

– Oração final
Ó Deus, nesta celebração,
tu nos fizeste ouvir de novo o teu chamado
e nos fizeste conhecer o teu projeto de amor.
Dá-nos a graça de retomar o entusiasmo
e a alegria do primeiro amor.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

4. RITOS FINAIS
• COMUNICAÇÕES
• BÊNÇÃO
C: O Deus da paz, que nos deu a alegria de celebrar este domingo,
guarde-nos em seus caminhos, e nos abençoe,
ele que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

A: Vamos em paz e,
ao longo de toda esta semana,
bendigamos ao Senhor.
T: Graças a Deus.

Related Posts

Deixe uma resposta