A Revista de Liturgia preparou um roteiro para cada dia do tríduo pascal, uma liturgia doméstica, baseada na liturgia da Igreja. São roteiros bem simples, que qualquer pessoa com pouca prática ministerial pode conduzir. Poucos cantos e o mais comuns. Os grupos ou núcleos familiares com mais condições, podem enriquecer com outros cantos.

Estes roteiros foram pensados  pela Ir. Penha Carpanedo, Irmã Pia Discípula do Divino Mestre, diretora da Revista de Liturgia.

Desenho: Kelly de Oliveira, pddm.

O sábado santo é o segundo dia do Tríduo. Neste dia a Igreja faz memória da sepultura do Senhor. Cada pessoa se recolhe individualmente, ou a família se reúne em oração. A hora mais adequada é cedinho, ou ao longo da manhã.

1.ABERTURA
Deus santo, Deus santo e forte, Deus imortal.
Piedade, Senhor.

Ou salmo 130[129],5-6:

Confia a minh’alma no Senhor,
nele está minha esperança.
No Senhor ponho a minha esperança
e na sua Palavra.
Espera a minh’alma o Senhor,
mais que os guardas pela aurora.
2.MOTIVAÇÃO
Nesta oração recordamos o dia que Jesus foi sepultado, descendo nas profundezas da nossa humana condição. Oremos em comunhão com as pessoas enlutadas, com as que estão doentes e sentem o medo da morte.

3.SALMO 16(15)
Quem coordena faz o convite:
Ao rezar este salmo coloquemos nossas vidas nas mãos de Deus, renovemos nosso confiança que ele não nos abandonará.
Um salmista canta ou recita o salmo pausadamente, para que os demais possam rezar em silêncio no coração.

1.Protege-me, ó Deus, tu és meu abrigo;
“Só tu és meu bem”, eu digo ao Senhor.
Rejeito esses deuses que o mundo promove;

Aos grandes não sirvo, nem presto favor.
2.Aqui, nesta terra, és, Deus, minha herança,
Em ti meu destino, porção garantida:
Tiraram a sorte pra ver minha parte,
Tu és a mais bela herança da vida.
3.Bendito o Senhor que é meu conselheiro,

À noite me alerta o meu coração.
Pra sempre o Senhor perante os meus olhos,
Com ele meus passos não vacilarão.
4.O meu coração se alegra contente,
Até minha carne repousa segura.

No mundo dos mortos tu não me abandonas,
Nem deixas teu servo preso à sepultura.
5.Tu me ensinarás da vida o caminho,
Em tua presença há muita alegria.
O Deus do universo, qual Mãe se mostrou,
Cantemos louvores de noite e de dia.

4.LEITURA BÍBLICA – Mateus 27,57-61
Uma pessoa faça pausadamente a leitura:
Leitura do Evangelho segundo Mateus.
Ao final da tarde, chegou um homem rico de Arimateia, chamado José que também se tornara discípulo de Jesus. Ele foi até Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Pilatos ordenou que lhe fosse entregue. José tomou o corpo, o envolveu num lençol de linho limpo, e o colocou no tumulo novo que ele havia escavado para si na rocha. Depois, rolando uma grande pedra, na entrada do túmulo, foi embora. Estavam aí Maria Madalena e a outra Maria, sentadas diante do sepulcro.
5.MEDITANDO A PALAVRA – Bento XVI – 2/5/2010
Depois de breve silêncio, quem preside leia pausadamente o texto que segue:
O Sábado Santo é aquele intervalo único e irrepetível na história da humanidade e do universo em que Deus, em Jesus Cristo, compartilhou não só nosso morrer, mas também
nosso permanecer na morte. A solidariedade mais radical. Todos temos sentido alguma vez uma sensação espantosa de abandono. Isto é o que mais tememos da morte. Só a presença de uma pessoa que nos ama nos dá segurança. Pois bem, isto é o que ocorreu no Sábado Santo: no reino da morte ressoou a voz de Deus. Aconteceu o inimaginável: que o Amor penetrou “nos infernos”: na obscuridade extrema da solidão humana mais absoluta. Também nós podemos escutar a voz que nos chama e a mão que nos toma e nos tira para fora. O ser humano vive porque é amado e pode amar. E se no espaço da morte penetrou o amor, então chegou ali a vida. Na hora da extrema solidão, nunca estaremos sozinhos.
6.PRECES DE LOUVOR

Louvemos a Cristo nosso Salvador, dizendo:
Louvor a ti, Senhor!
Cristo, desceste ao ponto mais baixo da nossa condição humana e permaneceste junto daqueles que estão abandonados.
Louvor a ti, Senhor!
Como semente que caiu na terra, conheceste a morte e nos livraste de todo medo.
Louvor a ti, Senhor!
Pelo teu amor venceste o mal e o ódio e agora vives para sempre junto do Pai.
Louvor a ti, Senhor!
7.PAI NOSSO

Quem preside faz o convite:
Rezemos com as mesmas Palavras que Cristo orou e nos ensinou: Pai nosso…

8.ORAÇÃO SOBRE A FAMILIA
Pai cheio de bondade, teu Filho desceu ao silêncio da morte, como todo ser humano, mas da morte surgiu vitorioso. A nós que fomos sepultados com ele no batismo, concedei que, pela força de sua ressurreição, participemos da vida eterna. Te pedimos também que toda a humanidade caminhe, para a plenitude do teu amor, conduzida por Cristo, que vive e reina contigo, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Clique e baixe em seu aparelho celular, tablete ou computador o roteiro e os áudios.

ASSINE A REVISTA DE LITURGIA!

Revista de Liturgia é um serviço de formação litúrgica destinada ao povo de Deus, especialmente às pessoas que atuam na pastoral litúrgica e nos diversos ministérios dentro da celebraçãoTraz artigos de excelente conteúdo e de fácil leitura, sobre diversos temas, sempre em sintonia com a pastoral litúrgica da Igreja no Brasil, em função da prática celebrativa das comunidade e da relação liturgia e catequese. 

Back to list

Related Posts

Deixe um comentário