A Revista de Liturgia preparou um roteiro para cada dia do tríduo pascal, uma liturgia doméstica, baseada na liturgia da Igreja. São roteiros bem simples, que qualquer pessoa com pouca prática ministerial pode conduzir. Poucos cantos e o mais comuns. Os grupos ou núcleos familiares com mais condições, podem enriquecer com outros cantos.

Estes roteiros foram pensados  pela Ir. Penha Carpanedo, Irmã Pia Discípula do Divino Mestre, diretora da Revista de Liturgia.

Desenho: Kelly de Oliveira, pddm.

Combinem um horário com as pessoas da família e algum vizinho que queira participar da celebração, a partir das 15 horas, não depois das 18.
Preparem o espaço: um altarzinho com toalha, vela, bíblia, a cruz.
Combinem os serviços: quem vai conduzir a celebração, quem vai fazer a leitura, quem vai fazer as preces., quem vai segurar a cruz no rito do beijo. Combinem também como vai ser o beijo da cruz.
A celebração deste dia começa com um profundo silêncio… Chegada a hora da celebração coloquem-se de joelhos em silêncio… Quem conduz a oração levanta-se e dá início com a oração.

1.ORAÇÃO
Ó Deus, pela paixão de nosso Senhor Jesus Cristo,
destruíste a morte
que o primeiro pecado transmitiu a todos.
Concede que nos tornemos semelhantes ao teu Filho
e, assim como trouxemos pela natureza
a imagem do homem terreno,
possamos trazer pela graça a imagem da nova criatura.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

2.SALMO 31(30)
Cantando este salmo, unindo nossa voz à oração de Jesus que o rezou em sua paixão, entreguemos nas mãos do Pai o grito de todos os condenados à morte, de tantas pessoas que sofrem violência, da humanidade ferida pela pandemia.
Todos/as cantam o refrão e o/a salmista as estrofes.
Eu me entrego, Senhor, em tuas mãos
e espero pela tua salvação!
1.Em tuas mãos eu entrego o meu espírito,
Ó Senhor Deus, és tu quem me vai salvar;
Tu não suportas quem serve a falsos deuses,
Somente em ti, ó Senhor, vou confiar!
2.Não me envergonho, Senhor, de te implorar;
Envergonhados eu veja os malfazejos,
Emudecidos na região dos mortos,
Quem contra o justo só fala com desprezo!
3.Amai a Deus! O Senhor guarda os fiéis!
Vão pagar caro os soberbos, seus rivais!…
De coração sede firmes, corajosos,
Vós todos que no Senhor sempre esperais!
4.Glória a Deus Pai, porque tanto nos amou;
Glória a Jesus, que se deu por nosso bem;
Glória ao Divino, que é fonte deste amor:
Nós damos glória agora e sempre. Amém!
3.LEITURA DO EVANGELHO – João 19,14-18.25-30
Um leitor ou leitora, leia pausadamente.
Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo João.
16Pilatos entregou Jesus à morte. 17Jesus tomou a cruz sobre si e saiu para o cugar chamado “Calvário”. 18Ali o crucificaram com outros dois: um de cada lado, e Jesus no meio. 19Pilatos mandou escrever um letreiro e colocá-lo na cruz. Estava escrito: “Jesus Nazareno, o rei dos judeus”. 20Muitos judeus puderam ver o letreiro, porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. O letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego. 21Então os chefes dos sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos: “Não escrevas: ‘O rei dos judeus’, mas coloca: ‘Este homem disse: Eu sou o rei dos judeus’”. 22Pilatos respondeu: O que escrevi, está escrito. 23Depois que crucificaram Jesus, os soldados repartiram a sua roupa em quatro partes, uma parte para cada soldado. E deixaram de lado a túnica; ela era sem costura, tecida com uma peça única de alto a baixo. 24Então eles combinaram: “Não vamos repartir a túnica. Vamos tirar a sorte, para ver de quem será”. Isso era para que se cumprisse a Escritura que diz: “Repartiram entre si a minha roupa e tiraram sorte sobre a minha túnica”. E foi assim que os soldados fizeram. 25De pé, estava ai a mãe de Jesus, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas e Maria Madalena estavam junto à cruz. 26Jesus viu sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava. Disse à sua mãe: Mulher, aí está o seu filho. 27E olhando para o discípulo: Eis aí a tua mãe. Daquela hora em diante, o discípulo a recebeu em sua casa. Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava terminado, para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede. 29Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram uma esponja, empapada de vinagre numa vara, e aproximaram a esponja da boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse: Tudo está consumado. E inclinando a cabeça, entregou o espírito.
Todos se inclinam em silêncio
4.ORAÇÃO UNIVERSAL
Quem conduza oração faz o convite:
Oremos a Deus, nosso Pai, unindo-nos a oração de Cristo na cruz, por toda a humanidade, dizendo [ou cantando]:
Ó Senhor, escuta a nossa prece.
1.Dá à Igreja, obra do teu amor, firmeza na fé e perseverança em na missão.
2.Protege o nosso Papa Francisco, dá-lhe saúde e firmeza na fé.
3.Sustenta na força do teu Espírito os servidores e servidoras da Igreja.
4.Faze crescer na fé e no conhecimento de Jesus os catecúmenos e catequizandos.
5.Congrega em unidade, na integridade da fé e na caridade, teus filhos e filhas consagrados a ti pelo batismo.
6.Guia na fé de Abraão e na fidelidade a tua aliança, nossos primeiros pais e mães na fé, o povo judeu.
7.Ilumina com a tua luz os não creem em Cristo e caminham sob o teu olhar com sinceridade de coração e busca da verdade e da paz.
8.Dirige com tua sabedoria os que governam das nações, para que governem com justiça e responsabilidade.
9.Conforta as pessoas que sofrem tribulações, pela fome, pela pandemia, pela violência, pela humilhação.

5.ADORAÇÃO DA CRUZ
Uma pessoa tome nas mãos a cruz e mantenha erguida. Quem preside diz ou canta:
Eis o lenho da cruz do qual pendeu a salvação do mundo. Vinde adoremos!
Quem preside faz o convite:
Inclinemos nosso coração, adoremos o mistério do amor que venceu a morte com sua própria morte. Recordamos as dores de toda a humanidade nestes tempos de pandemia. Em silêncio, digamos com toda a confiança a súplica que foi dirigida a Jesus pelo bom ladrão antes da sua morte: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares em teu reino”.
Segue o beijo da cruz…

CANTO 1
Alguém entoa o canto que segue, e todos repetem a ultima linha de cada estrofe:

  1. Bendita e louvada seja no céu a divina luz
    E nós também cá na terra, louvemos a santa cruz. (bis)
  2. Sustenta gloriosamente, nos braços o bom Jesus.
    Sinal de esperança e vida o lenho da santa cruz. (bis)
  3. Cordeiro imaculado, por todos morreu Jesus;
    Pagando as nossas culpas, é rei pela sua cruz. (bis)
  4. Ao povo aqui reunido, dai graça, perdão e luz;
    Salvai-nos, ó Deus clemente, em nome da santa cruz. (bis)
    Canto 2 -As 7 últimas palavras de Jesus [versão do padre Geraldo Leite]:
    Ó vós todos que passais pelo caminho
    Considerai e vede, se há uma dor maior que a minha dor. [Lm 1,12]
    Um solo canta a primeira parte de cada estrofe e a assembleia responde a segunda parte: considerai…
  5. Meu Pai, perdoa-lhes,
    porque não sabem o que fazem! [Lc 23,34]
    Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
  6. Hoje mesmo estarás
    comigo no paraíso! [Lc 23,43]
    Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
  7. Senhora, eis teu filho!
    Eis aí a tua mãe. [Jo 19,26-27]
    Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
  8. Tenho sede, tenho sede, tenho sede! [Jo 19,28]
    Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
    6.Meu Pai, meu Pai!
    Por que me abandonaste? [Sl 22,2]
    Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
  9. Meu Pai, em tuas mãos
    encomendo o meu espírito! [Lc 24,46]
    -Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
    7.Tudo está consumado.
    Tudo está consumado. [Jo 19,30]
    -Considerai e vede,
    se há uma dor maior que a minha dor.
    Ó vós todos que passais pelo caminho
    Considerai e vede, se há uma dor maior que a minha dor. [Lm 1,12]
  10. ORAÇÃO SOBRE A FAMILIA
    Que a tua bênção, ó Deus, desça abundante sobre esta família, neste dia em que celebramos o mistério do amor que venceu a morte. Venha o teu perdão e o teu consolo, cresça a fé e a concórdia, confirme-nos na liberdade para a qual Cristo nos libertou. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
    A cruz seja colocada diante da porta da casa, como sinal de agradecimento pela salvação que vem do Senhor.

ASSINE A REVISTA DE LITURGIA!

Revista de Liturgia é um serviço de formação litúrgica destinada ao povo de Deus, especialmente às pessoas que atuam na pastoral litúrgica e nos diversos ministérios dentro da celebraçãoTraz artigos de excelente conteúdo e de fácil leitura, sobre diversos temas, sempre em sintonia com a pastoral litúrgica da Igreja no Brasil, em função da prática celebrativa das comunidade e da relação liturgia e catequese. 

Back to list

Related Posts

Deixe um comentário