Dia do Senhor

DIA DO SENHOR | NATAL DO SENHOR JESUS

25 de dezembro de 2018
1. Aprofundando os textos bíblicos: Is 9,1-6; Sl 96(95); Tt 2,11-14; Lc 2,1-14 (noite); Is 52,7-10; Sl 98(97); Hb 1,1-6; Jo 1,1-18 (dia)
Lucas situa o nascimento de Jesus na história de Israel e de todo o império romano. O recenseamento, realizado por razões de tributação e serviço militar, obriga José a se deslocar de Nazaré para sua cidade natal, Belém, com Maria grávida. Ao dar à luz seu filho “primogênito”, o filho  consagrado a Deus (Ex 13,2; Nm 3,13), Maria o envolveu com faixas e o deitou na manjedoura. O Filho de Deus se manifesta na fragilidade de uma criança pobre e encontra acolhida em Maria, pois em Belém não havia lugar nem sequer na hospedaria. O nascimento de Jesus é descrito à luz do mistério pascal (2,7; 23,53). Em meio às trevas da noite, a luz do Senhor envolve os pobres e discriminados pastores. O anjo do Senhor os encoraja com o anúncio da Boa Notícia de Jesus: Hoje nasceu para vós o Salvador, que é o Cristo Senhor. Uma multidão louva a Deus com um hino: Gloria a Deus nas alturas e paz na terra aos que ele ama (2,14; 19,38). O Salvador e Senhor da terra não é o poderoso imperador César Augusto, mas Jesus que traz a verdadeira paz à humanidade (Jo 14,27). O prólogo de João (1,1-18) proclama que Jesus é a Palavra que se fez carne e veio morar entre nós. Pleno de graça e de verdade, Jesus nos dá a conhecer a vida que vem do Pai e faz permanecer em sua comunhão. A profecia de Isaías 9,1-6 anuncia o nascimento do príncipe da justiça e da paz, luz de salvação para o povo oprimido pelo domínio imperial. Isaías 52,7-10 convida a exultar de alegria porque o Senhor consolou e resgatou seu povo. Os salmistas convidam a cantar ao Senhor um canto novo e proclamar sua salvação dia após dia. A leitura de Tito 2,11-14 realça a manifestação da graça de Deus na obra realizada por Jesus Cristo.

2. A palavra na vida
Foram os pastores marginalizados e discriminados que receberam a alegre notícia do nascimento do Salvador do mundo. E esta boa nova é destinada a todos os pobres do mundo e de todos os tempos.

3. A palavra na celebração
Essa alegre noticia, Palavra viva, Verbo feito carne, tornou-se na ceia eucarística corpo doado para a vida do mundo.nos sinais sensíveis do pão e do vinho que partilhamos em ação de graças.

Revista de Liturgia Ed 270 – Cordeiro de Deus: um rito da não violência

Related Posts

Deixe uma resposta