A Eucaristia é a celebração mais plena e mais apropriada do Dia do Senhor, mas a escassez de ministros ordenados, leva muitas comunidades a se reunirem no domingo encontrando no tesouro da tradição litúrgica a celebração da Palavra para alimento da sua fé. A Palavra é celebrada como evento pascal, “pela ação íntima do Espírito que a torna operante no coração dos fiéis” [OLM, 9].

A CNBB tem incentivado a prática da celebração dominical da Palavra, e os bispos da América Latina e Caribe reunidos em Aparecida manifestaram todo o seu apreço por tais celebrações: Com profundo afeto pastoral, queremos dizer às milhares de comunidades com seus milhões de membros, que não têm oportunidade de participar da Eucaristia dominical, que também elas podem e devem viver “segundo o domingo”(…) participando da celebração dominical da Palavra, que faz presente o Mistério Pascal no amor que congrega (cf. Jo 3,14), na Palavra acolhida (cf. Jo 5,24-25) e na oração comunitária (cf. MT 18,20). [DA n. 253].

Compartilhamos o rito da Celebração da Palavra neste Domingo da cura do surdo-mudo.  Que a palavra nos cure de todas as nossas enfermidades.

  1. CHEGADA – escolher no livro de canto, ou:
    Louvarei a Deus, seu nome bendizendo.
    Louvarei a Deus, a vida nos conduz.
  2. CANTO DE ABERTURA
    Meu Deus, vem libertar-me!, H3, p. 124; Eis, meu povo, o banquete, H 3, p. 312; Eu creio num mundo novo, ODC, p. 268; Ah! Se o povo de Deus, ODC, p. 121.
  3. SINAL-DA-CRUZ
    Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
  4. SAUDAÇÃO
    A graça e a paz do Senhor Jesus estejam com vocês.
    Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.
  5. ACOLHIDA, SENTIDO DA CELEBRAÇÃO E RECORDAÇÃO DA VIDA
    O(a) animador(a), com breves palavras, acolhe as pessoas, sobretudo as visitantes, introduz o sentido do domingo e convida a assembleia a lembrar fatos marcantes que são sinais da páscoa de Jesus na vida pessoal, na comunidade, no mundo:
    Agradeçamos a Deus por este dia que traz a memória do Ressuscitado vivo no meio de nós, convidando-nos a uma verdadeira abertura de ouvido e coração para escutar a Palavra que tem força de cura.
    As pessoas podem lembrar de pessoas e situações de missão. Deixar que as pessoas falem ou, se isso não for possível, deixar que equipe fale, ou até mesmo quem preside pode trazer algumas lembranças.
    Terminando, quem preside, introduz o ato penitencial:
  6. ATO PENITENCIAL
    De coração contrito e humilde, invoquemos a compaixão do Cristo, e imploremos sobre nós o seu perdão:
    Senhor que vieste, não para condenar, mas para salvar, tem piedade de nós.
    Senhor tem piedade de nós.
    Cristo, que acolhes quem confia em tua misericórdia, tem piedade de nós.
    Cristo, tem piedade de nós.
    Senhor, que muito perdoas a quem muito ama, tem piedade de nós.
    Senhor tem piedade de nós.
    Deus todo amoroso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Amém.
  7. GLÓRIA – escolher no livro de canto
  8. ORAÇÃO
    Oremos ao Senhor… [breve silêncio]
    Ó Deus, pai e mãe de amor,
    tu nos libertaste em Cristo
    e nos deste o teu Santo Espírito.
    Guarda na tua bondade teus filhos e filhas,
    para que todos os que professam a fé em ti
    sejam livres de todas as amarras
    e permaneçam firmes no evangelho.
    Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
  9. PRIMEIRA LEITURA: Isaías 35,4-7a
    O profeta Isaías se dirige aos seus contemporâneos, cansados dos muitos sofrimentos que passaram no prolongado exílio, que, agora, chega ao fim. É uma palavra que anima e consola tantos de nós que vivemos em situação semelhante.
  10. SALMO RESPONSORIAL 146(145)
    Cantemos ao Senhor porque ele manifesta sua misericórdia, abrindo os olhos dos cegos, erguendo os paralíticos, anunciando aos pobres a boa-nova.
    Bendize, ó minh’alma, ao Senhor,
    bendirei ao Senhor toda a vida!
    O Senhor é fiel para sempre,
    faz justiça aos que são oprimidos;
    ele dá alimento aos famintos,
    é o Senhor que liberta os cativos.
    O Senhor abre os olhos aos cegos,
    o Senhor faz erguer-se o caído;
    o Senhor ama aquele que é justo,
    é o Senhor que protege o estrangeiro.
    Ele ampara a viúva e o órfão,
    mas confunde os caminhos dos maus.
    O Senhor reinará para sempre,
    ó Sião, o teu Deus reinará!
  11. SEGUNDA LEITURA: Tiago 2,1-5
    No contexto de uma sociedade de muitas diferenças, Tiago dá uma orientação à reunião da comunidade que tem muito a dizer para nós hoje. Vamos acolher.
  12. Aclamação ao evangelho (H 3, p. 227)
    Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!
    Tanta coisa boa fez,
    e bem feito ele fez tudo,
    fez os surdos escutarem,
    ele fez falar o mudo!
  13. EVANGELHO – Marcos 7,31-37
  • Uma pessoa da casa faça pausadamente a leitura:
    Leitura do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos
    Naquele tempo: 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galiléia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: ‘Efatá!’, que quer dizer: ‘Abre-te!’ 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade. 36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam:
    ‘Ele tem feito bem todas as coisas: Aos surdos faz ouvir e aos mudos falar’. Palavra da Salvação.
  1. MEDITAÇÃO
    Jesus se encontra com um surdo-mudo e se compadece de sua situação, abrindo-lhe os ouvidos e a boca. Fazendo isso, ele cumpre aos olhos dos discípulos a promessa de Deus descrita pelo profeta Isaías: “Os ouvidos dos surdos vão se abrir”. É uma nova criação! O sinal é tão evidente que os que presenciam o fato expressam a sua admiração com palavras que lembram o relato da primeira criação: “Ele faz bem todas as coisas, faz ouvir os que não ouvem e falar os que não falam”.
    No contexto do evangelho de Marcos, em que os discípulos estão com dificuldade de entender a novidade de Jesus, é o próprio discípulo de Jesus quem tem realmente necessidade de ser tocado por ele nos ouvidos e na língua, para abrir-se à sua revelação, à contemplação do seu amor como condição para engajar-se na missão…
    Em nossa reunião de oração, somos tocados no ouvido e no coração pela Palavra. Pelo força do Espírito que torna a Palavra operante em nossa vida, a nossa boca se abre para anunciar…
  • Unção dos ouvidos e da boca
    Depois da partilha da Palavra, apresentam-se potes com óleo. O(a) coordenador(a) convida a comunidade à oração:
    Oremos: (Silêncio)
    Ó Deus de bondade, tu enviaste o teu Filho consagrado para abrir nossos ouvidos à tua palavra, abençoa este óleo e torna-nos atentos aos seus ensinamentos. Por Jesus Cristo, teu filho muito amado. Amém.
    Os(as) ministros(as) saem pela igreja ungindo cada pessoa e dizendo:
    O Senhor abra teus ouvidos ao seu evangelho.
  1. PRECES
    Oremos a Cristo que intercede por nós junto do Pai e digamos:
    Escuta-nos, Senhor.
  • Senhor Jesus, nós te suplicamos pela Igreja que sofre perseguição por causa do Evangelho.
  • Senhor Jesus, dá-nos ouvidos e corações atentos à tua Palavra, e a graça de praticá-la e anuncia-la com a nossa vida.
  • Cura Senhor, as enfermidades do teu povo, abatido pela doença, pela fome e pela violência.
  • Preces espontâneas… Quem preside conclui:
    Atende-nos, ó Pai, por Cristo Jesus, na unidade do Espírito Santo. Amém.
  1. PAI NOSSO – Quem preside faz o convite:
    Obedientes à palavra de Jesus, sob a inspiração do seu Espírito que ora em nós, rezemos com confiança: Pai nosso…
  2. COLETA DE BENS
    É o momento de trazer donativos ou o dízimo para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta (escolher no livro de canto).
    Terminada a coleta, todos/as se levantam, os/as ministros/as trazem o pão consagrado para o altar. Quem preside, aproximando-se do altar, faz uma breve inclinação e dá início à ação de graças.
    Se não houver comunhão, quem preside se aproxima do altar e dá início à ação de graças assim que terminar a coleta.
  3. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS
    O Senhor esteja com vocês.
    Ele está no meio de nós!
    Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
    É nosso dever e nossa salvação!
    Nós te damos graças, ó Deus da vida,
    porque neste dia santo de domingo
    nos acolhes na comunhão do teu amor
    e renovas nossos corações com a alegria da ressurreição de Jesus.
    Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.
    Esta comunidade aqui reunida
    recorda a vitória de Jesus sobre a morte,
    escutando a sua Palavra e dando graças,
    na esperança de ver o novo céu e a nova terra,
    onde não haverá mais fome, nem morte, nem dor,
    e onde viveremos na plena comunhão do teu amor.
    Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.
    Envia sobre nós o teu Espírito,
    apressa o tempo da vinda do teu reino,
    e recebe o louvor de todo o universo
    e de todas as pessoas que te buscam.
    Nós te damos muitas graças, te rogamos, ó Senhor.
    Toda a nossa louvação chegue a ti em nome de Jesus,
    por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou:
    Pai nosso… pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.
  4. ABRAÇO DA PAZ
    Saudemo-nos, uns aos outros, com o sinal da reconciliação e da paz!
    Não havendo comunhão, passa-se daqui, para a oração final (n. 22).
  5. RITO DA COMUNHÃO
    Quem preside diz:
    Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com ele nesta mesa.
    E tomando nas mãos o pão consagrado, acrescenta:
    Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede.
    Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!
    Senhor, eu não sou digno(a)…
    Distribuição da comunhão. Canto de comunhão, escolher no livro de canto. Silêncio… Quem preside faz a oração do respectivo domingo, no missal, ou no Dia do Senhor, ou a que segue:
    mesa tão grande e vazia, ODC, p. 391; O Senhor poderoso em amor, ODC, p. 218.
  6. ORAÇÃO
    Ó Deus, tu sempre manifestas o teu amor
    agindo com imensa misericórdia
    em todos os momentos de nossa vida.
    Olha para nós que nos reunimos
    neste santo dia de domingo para invocar o teu nome. Faze que sejamos discípulos e discípulas
    do teu filho Jesus na aparente monotonia da vida, dóceis aos seus ensinamentos e disponíveis ao testemunho do seu reino.
    Faze com que toda criatura proclame o teu louvor e escute tua palavra de graça e vigor.
    Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
  7. BÊNÇÃO
    Que o Deus de toda consolação disponha na sua paz os nossos dias, sempre nos liberte de todos os perigos, confirme a obra de nossas mãos, e nos faça perseverar na obediência ao Evangelho, hoje e sempre.
    Abençoe-nos, o Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Roteiro preparado: Penha Carpanedo
Congregação Discípulas do Divino Mestre,
Redatora da revista de liturgia
www.revistadeliturgia.com.br
membro da Rede Celebra.

Desenho: Cláudio Pastro

Adquira o livro:

Dia do Senhor: Rito da Celebração da Palavra,

Paulinas Volume 1.

Contem roteiros para a

Celebração dominical da Palavra

durante todo o ano litúrgico.

www.apostoladolitúrgico.com.br

Related Posts

Deixe uma resposta