Dia do Senhor

DIA DO SENHOR: 4º DOMINGO DA PÁSCOA ANO A

03/05/2020

Oferecemos abaixo um subsídio elaborado para auxiliar quem prepara as celebrações litúrgicas dominicais. Além do aprofundamento dos textos bíblicos, indicamos também a sua relação com a vida e o mistério celebrado. 

1. Aprofundando os textos bíblicos: Atos dos Apóstolos 2,14a.36-41; Salmo 23(22); 1Pedro 2,20b-25; João 10,1-10
O evangelho ressalta que Jesus é a porta de acesso à salvação. O texto começa com uma pequena parábola ou comparação (vv.1-6), inspirada principalmente em Ez 34. Ao longo da história, muitos líderes políticos e religiosos exploraram o povo. Jesus realiza a profecia de Ezequiel, pois ele cuida realmente das ovelhas, provê as necessidades do povo. À noite, os pastores costumavam reunir seus rebanhos num redil comunitário, vigiado por um guarda. Pela manhã, cada pastor fazia sair as suas ovelhas chamando-as pelo nome a fim de conduzi-las às pastagens. Jesus se compara à porta das ovelhas, pois é ele quem dá acesso ao caminho da salvação. Onde há vida é por Cristo que chegamos a ela. Jesus salva, oferece livre acesso às pastagens (v.9), provê de abundância ou plenitude de vida espiritual, moral e material (v.10), em contraste com os ladrões que causam destruição e morte. Com seus gestos de amor e solidariedade, Jesus oferece a esperança de vida plena e abundante para toda a humanidade. Ele é a fonte de vida que alimenta e fortalece o povo na conquista de sua liberdade. Jesus é o Senhor e Messias, como destaca a 1ª leitura. Os apóstolos testemunham que Deus ressuscitou Jesus: ele vive e é Senhor, na glória. A sua mensagem de salvação provoca a conversão, mudança na maneira de viver; o batismo e a alegria de receber o dom do Espírito Santo (v.38). A 2ª leitura exorta a seguir o exemplo de Cristo, Servo e Pastor, que entregou sua vida para reunir as ovelhas desgarradas. Ele é o fundamento da nova identidade dos cristãos, chamados a superar as dificuldades não por meio da violência opressora, mas com o bem, o amor e a solidariedade.

2. Atualizando
Jesus é a porta, o ponto de referência dos sonhos e realizações do ser humano. Passando por Jesus, a porta da salvação, encontraremos vida em abundância. Ele é o pastor que nos conhece e nos chama pelo nome. Confiantes, escutemos a voz do nosso Pastor supremo e peçamos que envie bons pastores, boas lideranças para o povo. Como discípulas e discípulos de Cristo, devemos nos empenhar para que todas as pessoas possam ter uma vida feliz, digna. Somos chamados a fazer o bem na solidariedade com Jesus e as pessoas.

3. A palavra de Deus na celebração
O Senhor ressuscitado se revela hoje, como pastor de nossas vidas e manifesta a ternura e o cuidado com o seu povo.  Jesus Cristo, a porta, nos conduz à salvação. Ele nos leva para águas repousantes e restaura nossas forças e nos guia por caminhos seguros. Como discípulos e discípulas do Senhor nós escutamos a sua voz. Que Ele nos livre de todos os perigos e tentações que nos tiram de seu caminho e que possamos atingir a sua fortaleza. Ele nos convida a escutar sua palavra e a participar da mesa que é preparada com carinho para nós. Mesa que sacia a nossa fome e sede de felicidade e vida em abundância.

AUTORAS:
Ir. Neusa Bresiani
é Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.

Ir. Helena Ghiggi é Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

COLABORE COM A REVISTA DE LITURGIA. ASSINE, RENOVE E DIVULGUE!

Revista de Liturgia Edição 272 – 50 anos de Medellín: A liturgia de uma Igreja pobre, a serviço dos pobres.

Assinatura Anual Digital

Assinatura Anual Impressa

Related Posts

Deixe uma resposta