28 de abril de 2019

1. Compreendendo os textos: Atos 5,12-16; Salmo 118(117); Apocalipse 1,9-13.17-19; João 20,19-31

Jesus ressuscitado se manifesta no meio dos discípulos reunidos ao entardecer do primeiro dia da semana, para celebrar a memória de sua Páscoa. Paz a vós é a saudação pascal do Ressuscitado que liberta do medo frente às perseguições (16,2; Hb 2,18), é a paz que o mundo não pode dar (14,27). Jesus ressuscitado mostrou-lhes as mãos e o lado, sinais de sua entrega da qual flui a vida nova do Espírito (7,37-39). Os discípulos se alegram por verem o Senhor, sua presença viva que os confirma na missão que ele mesmo recebeu do Pai. Jesus infunde a força criadora de sua ressurreição pelo sopro do Espírito Santo, como outrora Deus soprou a vida no ser humano (Gn 2,7). Com o dinamismo do Espírito, os discípulos testemunham a vida nova do Ressuscitado, que rompe as barreiras opressoras do pecado para criar um mundo novo de comunhão e fraternidade. Tomé é figura do discípulo que ensina o percurso para encontrar Jesus crucificado/exaltado como Senhor e Deus. Felizes aqueles que não viram e creram, os que acolhem a presença do Ressuscitado pela ação do Espírito. Na leitura dos Atos, a comunidade reunida escuta o ensinamento dos apóstolos e testemunha os sinais e prodígios que eles realizavam em nome de Jesus ressuscitado. A imagem do salmo: a pedra rejeitada que se tornou pedra angular, é aplicada a Cristo ressuscitado que nos faz experimentar a salvação. Na leitura do Apocalipse, as comunidades perseveram nas tribulações pela força do Ressuscitado, o Vivente que foi morto, mas está vivo, de modo especial no Dia do Senhor, o Domingo.

2. A palavra na vida

Reunir-se no domingo é oportunidade de encontrar o Senhor, que se manifesta vivo, “onde dois ou três se reúnem em seu nome” (Mateus 18,20), mediante a sua palavra e a ceia.

3. A palavra na celebração

Que a nossa reunião dominical, nos confirme na fé, a mesma que o apóstolo Tomé proferiu, ao ver o crucificado ressuscitado. Só participando da comunidade de fé podemos experimentar a verdadeira paz mesmo em meio as dificuldades da vida.

 

Autoras:

Ir. Neusa Bresiani é Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui no serviço da formação litúrgica nas comunidades.

Ir. Helena Ghiggi é Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

 

https://revistadeliturgia.com.br/product/revista-de-liturgia-edicao-272-50-anos-de-medellin-a-liturgia-de-ua-igreja-pobre-a-servico-dos-pobres/

https://revistadeliturgia.com.br/product/assinatura-anual-digital/

https://revistadeliturgia.com.br/product/assinatura-anual-impressa/

Related Posts

Deixe uma resposta