FESTA DE ANO NOVO | 31 DE DEZEMBRO

O que segue é um Roteiro de Celebração dominical da Palavra presidida por ministro ou ministra leigo/a, mas os elementos podem ser úteis também para preparar a celebração eucarística. As leituras indicadas são do Lecionário dominical. Os comentários das leituras são para ajudar a equipe que prepara, não deve ser usada no momento da celebração. Depois do evangelho há uma pequena meditação para ajudar a quem deve fazer a homilia.

 Dando graças a Deus pelo ano que finda e começando um novo ano civil, suplicamos ao Cristo pela paz para o mundo inteiro. Celebramos a páscoa de Jesus Cristo que se manifesta em todas as pessoas e grupos que contribuem para a paz no mundo e que procuram a harmonia entre todas as criaturas.

O ambiente da celebração no escuro, pode-se entoar a mantra Dá-nos a paz, dá-nos a paz!

 

  1. ABERTURA

– Venham, ó nações, ao Senhor cantar!

Ao Deus do universo venham festejar!

– Seu amor por nós, firme para sempre,

Sua fidelidade dura eternamente

– Venham, supliquemos, por toda a terra:

Haja paz para os povos, acabe-se a guerra!

Acende-se o círio. O coordenador diz a seguinte oração:

Bendito sejas, Deus da Vida, porque iluminas as nossas trevas com a luz do Cristo ressuscitado e guias nossos passos no caminho da paz.

Amém!

Acendem-se as velas

– Para ti, Senhor, toda a noite é dia!

A escuridão mais densa logo se alumia!

– És a luz que brilha em nossa escuridão,

Tua Palavra, ó Deus, renova a criação!

 

Faz-se a oferta do incenso

– Suba nosso incenso, a ti ó Senhor!

Este louvor pascal se oferta com amor!

– Nossas mãos orantes para o céu subindo!

Cheguem como oferenda ao som deste hino!

 

Terminada a oferta

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito,

Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito

– Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos!

Cristo é nossa paz, a Deus louvação!

 

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

 

  1. HINO

A ti, ó Deus, nós vimos louvar (Te Deum), ODC, p. 286; Sólo le pido a Dios, ODC, p. 414.

 

  1. ORAÇÃO

Ó Deus, Senhor da paz,

acende em nossas vidas o fogo da solidariedade e da justiça.

Faze tremular no meio dos povos a bandeira da paz.

Abençoa esta nossa vigília pela paz no mundo:

que ela nos transforme para podermos viver

sempre em teus caminhos.

Sobretudo, traze à paz a todos os povos.

Destrói todos os instrumentos de violência e guerra

e apressa o dia em que as espadas serão transformadas em arados

e ninguém mais será treinado para a guerra.

Por Cristo, nosso  Senhor!

 

  1. SALMODIA

Salmo 46 (45): Expressando nossa total entrega e confiança  naquele que é Deus co’a gente em busca da paz, cantemos este antigo hino de Sião.

 

Salmo 85 (84): Voltando do cativeiro para a terra prometida, o povo agradece ao Senhor e implora que Ele complete a salvação.

 

  1. LEITURA: Is 2,1-5

Cerca de oitocentos anos antes de Jesus nascer, quando o povo de Israel estava sendo pressionado militarmente por países vizinhos, e muitos propunham o fortalecimento militar como solução, o profeta Isaías proclama a seguinte profecia.

 

  1. RESPOSTA

Quando o dia da paz renascer, ODC, p.

 

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia! Aleluia! Aleluia!

 

Louvor e glória a ti, Jesus, Senhor da Paz!

 

  1. EVANGELHO: Mateus 5, 1-12a

Vejamos como Mateus, descrevendo Jesus como o novo Moisés que sobe à montanha para dar ao povo a nova lei, apresenta o primeiro grande discurso e ensinamento do Senhor.

 

  1. PARA CONCLUIR A MEDITAÇÃO

Estamos diante da página mais célebre do evangelho de Jesus. O sermão da montanha (cap. 5-7) é como a constituição do novo povo de Deus, a declaração da nova aliança, o manifesto do Messias Salvador, dirigido à multidão dos que crêem. O cerne do manifesto são as oito bem-aventuranças, verdadeiro poema de valor sapiencial ou de bênção, não mandamentos, mas bênçãos e promessas de felicidade vinculadas a uma exigência radical.

Neste contexto, Jesus proclama “Felizes os promotores da paz porque serão chamados de filhos e filhas de Deus”. Aqui, Jesus não se refere aos pacíficos (como querem algumas traduções), que indica uma índole, nem aos pacificadores (como aparece em outras versões da bíblia), o que significa posse de poder político. Ele se refere aos promotores (ou artesãos ou fautores) da paz – os que fazem da paz uma preocupação cotidiana e permanente – e a eles promete a filiação divina. Dessa forma, Jesus coloca a luta pela paz no coração do evangelho, mostrando que o compromisso com a justiça e a paz é algo fundamental no cristianismo; é este compromisso que nos faz sermos herdeiros da bênção de Deus, seus filhos e filhas queridos.

Nesta celebração de vigília, acolhemos esta bem-aventurança como uma bênção e uma confirmação de nossos trabalhos, um sinal de comunhão com todas as comunidades e grupos que no mundo inteiro buscam caminhos de paz e solidariedade. Que ela nos fortaleça na busca da dimensão pacifista do evangelho (Gandhi dizia que os cristãos eram o único grupo da humanidade que não viam no evangelho uma fonte de não-violência), na oração incessante e permanente pela paz, na vigilância a tudo que dentro e fora de nós contribui para a cultura de violência, enfim, na construção de uma Igreja realmente servidora da paz.

 

  1. PRECES

Pode-se usar uma grande cruz e panos de cores diversas para serem colocado na mesma, representando os cinco continentes: branco (Europa), amarelo (Ásia), vermelho (América), verde (África), azul (Oceania).

C: Neste vigília pela paz no mundo, unamos a todos que esperam um novo dia para a humanidade e supliquemos ao Deus da Paz por todos os povos e nações:

Alguém coloca na cruz o pano vermelho.

A: Supliquemos pela paz em nossa América sofrida:

As pessoas, brevemente podem lembrar situações concretas e intenções, tais como: pela paz em tal país, pelo fim de tal coisa, etc.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, padrinho dos pobres e defensor de todas as criaturas,

há quinhentos anos a nossa Ameríndia

vem sendo explorada e massacrada.

Arruina o império de dor instalado neste continente

faz da morte dos que tombaram e continuam tombando

testemunho vivo de luta e de sonho do povo afro-ameríndio,

para que a América seja,

em toda verdade,

o continente da liberdade e da democracia.

Por Cristo, nosso Senhor!

Alguém coloca na cruz o pano verde.

A: Supliquemos pela paz para o continente africano:

As pessoas, brevemente podem lembrar situações concretas e intenções, tais como: pela paz em tal país, pelo fim de tal coisa, etc.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, aurora querida,

dos braços de nossa mãe África

ouvimos o gemido e o clamor da negra gente

passando por um deserto de provações e discórdias.

Gera, então, em seu seio a semente de um novo tempo,

e o toque dos tambores dará início à festa da prosperidade.

Por Cristo, nosso Senhor!

Alguém coloca na cruz o pano branco.

A: Supliquemos pela paz para a Europa:

 

As pessoas, brevemente podem lembrar situações concretas e intenções, tais como: pela paz em tal país, pelo fim de tal coisa, etc.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, Pai santo e imortal,

aumenta em nós a certeza de uma nova era,

onde a marca dos horrores na Europa

seja apenas lembrança de um pesadelo.

Acaba as discórdias e intrigas

e dá a  este continente um espírito ardente de solidariedade

para que conheça, enfim, o esplendor da tua paz.

Por Cristo, nosso Senhor!

Alguém coloca na cruz o pano amarelo.

A: Supliquemos pela paz para a Ásia:

 

As pessoas, brevemente podem lembrar situações concretas e intenções, tais como: pela paz em tal país, pelo fim de tal coisa, etc.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, pastor e guia do povo

que escolheste por sua herança,

os constantes conflitos na Ásia colocam em risco a segurança e o futuro da humanidade.

Dispersa e desarma, Senhor, os exércitos para alimentar as nações,

fazendo de civis e militares uma só autonomia popular.

Assim, a paz será o sol do oriente que nos virá visitar,

restaurando nossa mais profunda natureza.

Por Cristo, nosso Senhor!

Alguém coloca na cruz o pano azul.

A: Supliquemos pela paz para a Oceania:

As pessoas, brevemente podem lembrar situações concretas e intenções, tais como: pela paz em tal país, pelo fim de tal coisa, etc.

Silêncio.

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, justo e libertador,

ouve o grito dos povos da Oceania,

especialmente do Timor, irmão nosso de língua e de esperança,

Banha cada ilha daquele arquipélago com as águas da prosperidade,

e faz do sonho e da luta não-violenta de seus habitantes

uma ponte de certezas por onde todos chegarão à vitória da paz.

Por Cristo, nosso Senhor!

A: Supliquemos por todos os que se engajam na luta pela paz:

As pessoas, brevemente podem lembrar pessoas, grupos e movimentos engajados na luta pela paz.

Silêncio.

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, teu filho Jesus

ousou proclamar felizes os promotores da paz.

Enche de entusiasmo os que ainda têm coragem

de empunhar a bandeira da paz.

Devolve o ânimo aos desanimados

e desperta os que ainda não acordaram para a luta.

Que venha sobre nós, Pai, tua doçura e tua bênção.

E para que teu Reino seja realidade aqui na terra,

confirma a obra de nossas mãos.

Por Cristo, nosso Senhor!

A: Supliquemos pelos que governam os povos:

As pessoas, brevemente podem lembrar pessoas e organismos governamentais.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus, fonte de sabedoria e Senhor das nações,

os povos da terra têm em seus governantes

a confiança de que serão conduzidos nos caminhos da justiça,

da prosperidade e do bem comum.

Contudo, tantas vezes padecem pela incontrolável sede de poder.

Inspira todos os chefes para que bebam da tua fonte enquanto servem.

Arrebenta toda forma de ditadura e poder absolutizado.

Arranca toda e qualquer possibilidade de violação dos direitos humanos

e faz da ONU um instrumento eficaz de paz.

Por Cristo, nosso Senhor!

 

A: Supliquemos pelas Igrejas cristãs e por todas religiões e culturas:

As pessoas, brevemente podem lembrar grupos e pessoas de outras igrejas e religiões.

Silêncio

T: Senhor, tende piedade de nós! Ou: Senhor Deus, misericórdia!

C: Ó Deus de tantos nomes,

tantas raças, tantas religiões e culturas,

a busca constante da humanidade

pelo teu verdadeiro rosto nos torna mais plenos.

Que o teu sopro seja a conversão dos teus peregrinos

e a paz seja o horizonte para o qual,

no respeito à dignidade de todo o ser humano,

possamos caminhar abraçados.

Por Cristo, nosso Senhor!

 

Este momento de prece é concluído com a comunidade cantando, de joelhos, o hino Senhor, ouve esta prece, ODC, p. 308.

 

  1. ABRAÇO DA PAZ

O(a)  animador(a) convida todos a se darem as mãos:

 

C: Em comunhão com os povos indígenas que buscam a terra sem males, desejemos uns aos outros: “Sauidi!”

T: Sauidi!

C: Unidos com todo o povo negro que luta por dignidade e reconhecimento no terreiro da irmandade, desejemos uns aos outros: “Axé!”

T: Axé!

C: Juntos com o povo que no Budismo busca a iluminação para uma vida sem dor, desejemo-nos uns aos outros: “Shantjî!”

T: Shantjî

C: Junto com os que buscam a terra onde corre leite mel no judaísmo, desejemos uns aos outros: “ Shalom!”

T: Shalom!

Coordenador: Com os irmãos e irmãs do Islamismo, também descendentes de Abraão, desejemos uns aos outros: “Salam!”

T: Salam!

C: Em comunhão com os que confessam que Jesus é o Senhor, desejemo-nos: “A paz do Senhor esteja com vocês!”

T: A paz do Senhor esteja com vocês!

 

 

  1. ORAÇÃO

Nós te agradecemos,
Deus de todos povos e nações,
por esta celebração.
Sustentados por tua palavra e por tua ternura,
dá-nos a graça de permanecemos firmes no compromisso pela paz
e sermos, para todos, um sinal do teu amor.
Por Cristo, nosso Senhor!

 

  1. BÊNÇÃO SOBRE O UNIVERSO

Alguém dançando pode introduzir a bandeira da paz com um canto, como “É bonita demais…”

A: Voltemos nosso corpo e estendamos nossas mãos em direção ao Oriente, onde nasce o sol . Peçamos a paz para todos os povos que ali vivem.

pausa

C: O Deus de toda a luz, fortaleça a nós e a todos, pessoas e grupos que se empenham pela paz no mundo.

T: Amém!

A: Voltemos nosso corpo e estendamos nossas mãos para o Ocidente, onde o sol de põe. Peçamos a paz para todos os povos que ali vivem.

pausa

C: O Deus, força e energia do universo, liberte-nos de todos os males e perigos e livre os povos das guerras e discórdias.

T: Amém!

A: Voltemos nosso corpo e estendamos nossas mãos em direção ao norte, onde vivem às nações ricas. Peçamos a paz para todos os povos que ali vivem.

pausa

C: O Deus de todo o universo nos faça solidários com os que sofrem.

T: Amém!

A: Voltemos nosso corpo e estendamos nossas mãos em direção ao sul, onde vivem as  nações pobres. Peçamos a paz para todos os povos que ali vivem.

pausa

C: O Deus dos fracos nos faça lutar sempre contra toda injustiça.

T: Amém!

C: Abençoe-nos o Deus de toda paz, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

T: Amém!

Livro Dia do Senhor Rito da Celebração da Palavra

Related Posts

Deixe uma resposta