Preparando o Dia do Senhor

SOLENIDADE DO NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

Preparando o Dia do Senhor

25 de dezembro de 2020

1. Aprofundando os textos bíblicos − À noite:
Is 9,1-6; Sl 96(95); Tt 2,11-14; Lc 2,1-14. No dia: Is 52,7-10;Sl 98(97); Hb 1,1-6; Jo 1,1-18

Jesus nasce inserido na história, num contexto de dominação imperial, quando o recenseamento
organizava a tributação e o serviço militar. Belém, “casa do pão”, aguardava a vinda de um
Messias-Pastor para defender o povo sofrido e ameaçado pelos poderosos (Mq 5,1-3;Mt 2,5-6).
Deus se torna pequeno, pobre e próximo dos que vivem à margem da sociedade, como os pastores à
espera da salvação. O nascimento de Jesus é acolhido como a “Boa Notícia” da alegria e da
libertação para todos os oprimidos. “Hoje nasceu para vocês um Salvador que é o Cristo e Senhor”,
títulos que reconhecem Jesus como o Messias esperado, o Senhor que vencerá a morte pela ressurreição,
o autêntico Salvador da humanidade. A ênfase no sinal da “manjedoura” (2,7.12.16) indica que Jesus
será o anfitrião da humanidade faminta, deixando a eucaristia como memorial de sua vida, entregue a
serviço da justiça até a cruz (22,7-30). Os anjos cantam: “Glória a Deus nas alturas, e na terra paz
aos seres humanos”,porque em Jesus o Pai realiza sua dádiva escatológica da paz. Quando Jesus completar
a jornada para Jerusalém será aclamado com a saudação da paz como plenitude do bem realizado em prol
dos menos favorecidos (19,38). O prólogo do evangelho de João (1,1-18) acentua que Jesus é o Deus encarnado
que “armou sua tenda entre nós”. A acolhida de “Jesus de Nazaré” (1,46) proporciona a experiência
da dignidade de filhos e filhas de Deus. Is 9,1-6 proclama o nascimento de um menino como luz para o
povo oprimido, que andava nas trevas. Em Is 52,7-10, o mensageiro anuncia a alegre notícia da salvação aos
povos. Os salmistas louvam o Senhor pela bondade e fidelidade,que estabelece no mundo sua justiça. Tt 2,11-14
sublinha o amor gratuito de Deus manifestado em Cristo, que faz trilhar o caminho da vida nova com esperança
até a plenitude da salvação. Hb 1,1-6 apresenta Jesus como a Palavra plena e definitiva de Deus, que realiza
plenamente seu projeto.

2. A palavra na vida
Com um coração aberto como os pastores, acolhamos
o Salvador de todos os povos.

3. A palavra na celebração
Demos graças ao Pai pelo mistério da sua Palavra
que se fez carne e veio habitar entre nós.

Autoras:

Ir. Neusa Bresiani é Pia Discípula do Divino Mestre, tem especialização em liturgia, é membro da rede Celebra e contribui
no serviço da formação litúrgica nas comunidades.
Ir. Helena Ghiggi é Pia Discípula do Divino Mestre, mestra em Bíblia e assessora cursos de formação bíblica.

Related Posts

Deixe uma resposta